Reeleito vice-presidente da ALPB, Edmilson diz que situação está presente e sati - WSCOM

menu

Política

26/04/2011


"Situação está presente na mesa da AL"

Foto: autor desconhecido.

Deputados estaduais de diferentes partidos reconheceram, durante a sessão desta terça-feira (26), que a reeleição do presidente Ricardo Marcelo (PSDB) reforçou a autonomia do Poder Legislativo Estadual. Quase à unanimidade dos parlamentares presentes destacaram as ações políticas e administrativas da atual gestão na Assembleia Legislativa, com exceção do deputado Tião Gomes (PSL) que, da tribuna, reconheceu a derrota e deu por encerrado o episódio da reeleição, que ocorreu na terça-feira passada.

Reeleito vice-presidente para o biênio 2013/2015, o deputado Edmilson Soares (PSB) foi enfático em sua fala, ao destacar que sua presença na chapa liderada por Ricardo Marcelo é a presença do Governo do Estado na Mesa Diretora. “Não sou deputado de cargos. Sou deputado de projeto político. Defendo desde muito tempo um projeto político que está avançando e que vai mudar este Estado. É este projeto que está representado na Mesa Diretora e que deu ao PSB duas vagas no próximo biênio”, disse.

Além de Edmilson, o PSB terá a deputada Léa Toscano como quarta secretária da Mesa no próximo biênio. Outra deputada comporá a Mesa: Eva Gouveia (PTN) foi eleita para a terceira suplência no biênio 2013/2015.

Os deputados estaduais foram unânimes em rebater algumas insinuações de Tião Gomes sobre o processo de reeleição. Lembraram ao deputado que a edição do Diário do Poder Legislativo, questionada naquela sessão, foi publicada normalmente e que o projeto de resolução que antecipou a reeleição seguiu a legalidade. Janduhy Carneio (PPS) frisou que a maioria absoluta foi vencedora, com a reeleição por 30 votos contra apenas duas abstenções, e que o deputado Tião teria que reconhecer a derrota.

Os deputados Anísio Maia (PT) e Daniella Ribeiro (PP) enfatizaram que a gestão de Ricardo Marcelo “democratizou” a participação dos parlamentares na Assembleia Legislativa.

Já o deputado Aníbal Marcolino (PSL) chamou a atenção de que não pode ser “jogada no ar” qualquer tipo de denúncia contra parlamentares, sem que se apresente qualquer tipo de prova. “Todos tiveram o livre arbítrio de votar e participar. Quem se sentiu em minoria naquela sessão da semana passada teve a oportunidade de se ausentar do plenário. Apenas uma chapa foi apresentada, não houve inscrição de nenhuma candidatura avulsa. Tudo isso prova que a maioria absoluta da Casa foi respeitada”, disse.

Aníbal destacou que, em sua nova composição, a grande maioria da Mesa Diretora que surge com a reeleição de Ricardo Marcelo faz parte da base aliada do governador Ricardo Coutinho (PSB). Já o deputado Trócolli Júnior (PMDB) lamentou que Tião Gomes insistisse em críticas à atual gestão na ausência do presidente Ricardo Marcelo. “Toda ausência é atrevida”, lembrou.

Ao fim se sua fala, Tião Gomes reconheceu que “tem que se dobrar a maioria, que é quem conta a história”. Ele reconheceu ainda que teve oportunidade de expor suas ideias de foram transparente da própria tribuna da Assembleia Legislativa.

O último a se pronunciar sobre a reeleição de Ricardo Marcelo foi o deputado estadual Gervásio Maia, líder do PMDB na Assembleia. “Eu vejo no semblante de Tião que ele quer me ofender. São 20 anos de amizade que tenho com ele. Como sei que trata-se de pessoa emotiva, mais tarde ele estará arrependido do que disse. Ele talvez tenha sido o último a saber, porque dentro dos 36 deputados ele não goza mais da aproximação com 35 deputados”, afirmou.

Notícias relacionadas