Receita libera consulta ao 1º lote do IR 2006 - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

08/06/2006


Receita libera consulta ao 1º

A Receita Federal liberou na manhã desta quinta-feira a consulta às restituições do 1º lote do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2006, ano-base 2005 para 1.222.234 contribuintes, no total de R$ 1.299.999.969,68.

Do total das liberações, 913.529 serão para contribuintes com mais de 60 anos, em cumprimento ao Estatuto do Idoso.

Para saber se consta deste lote, basta acessar a página da Receita na Internet ou ligar para o Receitafone 0300-78-0300.

Ao todo, foram liberadas 13.596.098 declarações, das quais 10.058.913 para contribuintes que tiveram saldo zero de imposto. Outras 2.314.951 de pessoas terão imposto a pagar, no valor de R$ 3.689.807.158,10.

O dinheiro estará disponível para saque no dia 16 e virá corrigido em 2,28%, referentes a taxa Selic de maio e 1% de junho. A Receita lembra que o valor disponível no banco não terá qualquer outro acréscimo, independentemente da data em que for retirado.

Quem não informou a conta corrente para crédito da restituição poderá ir a uma agência do Banco do Brasil ou ligar para 4004-0001 nas capitais ou 0800-729-0001 nas demais localidades e pedir a transferência do dinheiro para qualquer banco em que seja correntista.

A consulta ao extrato de processamento da declaração também pode ser feita por meio da internet. A restituição ficará disponível no banco pelo prazo de um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse tempo, deverá requerê-la mediante o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, disponível na internet. Malha fina

A Receita Federal liberou na quarta-feira a consulta à malha fina do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2006. Para saber se foi retido, o contribuinte deve acessar a página da Receita da Internet, com o número do recibo da declaração e do CPF.

Em 2005, a Receita liberou a consulta apenas no fim do ano, mas decidiu antecipar a liberação para acelerar a sua restituição ao contribuinte que corrigir os erros apontados no extrato de processamento.

Nem todos poderão saber se foram retidos na malha fina, já que a Receita ainda não processou todas as declarações. Porém, segundo o órgão, mais de 85% das declarações haviam sido processadas até o mês passado.

Até agora, 1,1 milhão de declarações estão na malha fina. Esse número pode cair até dezembro, já que elas ainda vão passar por diversas etapas de fiscalização.