Raniery renova pedido para inclusão da microrregião de Guarabira no Semiárido - WSCOM

menu

Paraíba

22/04/2017


Raniery pede Guarabira no Semiário

INCLUSÃO

Foto: autor desconhecido.

 O Deputado Estadual Raniery Paulino (PMDB) enviou esta semana ao ministro de Estado da Integração Nacional Helder Barbalho, ofício solicitando providências urgentes no sentido de adotar medidas para a inclusão nos municípios da microrregião de Guarabira no semiárido nordestino.

 A microrregião de Guarabira está localiza na região do Agreste do Estado da Paraíba, composta pelos municípios de Alagoinha, Araçagi, Belém, Caiçara, Cuitegi, Duas Estradas, Lagoa de Dentro, Logradouro, Mulungu, Pilõezinhos, Pirpirituba, Serra da Raiz e Sertãozinho, cujos aspectos físicos são próprios do semiárido o relevo predominantemente suave ondulado cortado por Vales estreitos e com vertentes dissecadas.

 No documento Raniery fala sobre a classificação da região como o semiárido se faz inadiável na medida em que as cidades precisam programar políticas públicas visando alavancar as suas economias. “Trata-se de uma matéria de suma importância para a vida das populações e que inclusive há muito se encontra tramitando neste Ministério da Integração, ainda sem nenhuma solução”, reforçou o parlamentar.

 Esta semana na cidade de Belém por iniciativa da prefeita Renata Christina aconteceu uma reunião com todos os prefeitos da região e entidades como UFPB, Escola Agrícola, Emepa, Ematera, entre outros para tratar do assunto.

 Participando do encontro, o advogado Fábio Mariano, representando o deputado Raniey, disse que numa pauta bastante intensa, estavam assuntos como a importância inclusão para os agricultores e os municípios que terão acesso a crédito diferenciado através do Banco do Nordeste. Além disso alguns municípios que tem escassez de água serão excluídos de projetos que são inerentes a regiões mais áridas, tais como Projeto Carro Pipa e de Cisternas. E segundo informações alguns municípios já foram notificados pelo Exército Brasileiro que no meio do ano já não terão mais acesso a tais programas.

 De acordo Raniery, essa é uma luta que começou desde seu primeiro mandato, quando, na companhia de vários prefeitos e lideranças políticas da região, já participou de eventos sobre o assunto e reuniões nos ministérios em Brasília.