Rangel: demolição de casa de vítimas desobedeceu ordem de delegado que queria no - WSCOM

menu

Paraíba

19/07/2009


Rangel: demolição de casa de

Um ofício assinado pelo delegado de Polícia Civil Francisco Deusdedit Leitão Filho, ordenava a manutenção da casa onde moravam o gesseiro Moisés Santos, sua esposa Divanise e os filhos, vítimas da chacina praticada no bairro do Rangel há mais de uma semana. Mesmo assim, a ordem foi ignorada e a casa demolida por populares.

A determinação do delegado tinha por objetivo solicitar novas perícias no imóvel para acrescentar ao inquérito que apura a tragédia. Além do que, o imóvel, por herança pertencia aos dois filhos que sobreviveram à chacina, que, por serem menores, estão sub a guarda do Conselho Tutelar.

A responsável pelas crianças diz que para que o imóvel fosse demolido, era necessário haver um processo legal, tramitado e julgado, envolvendo o Conselho Tutelar da Região, a Promotoria da Infância e da Juventude, a delegacia responsável pelo caso, além da obtenção de um alvará de demolição, por se tratar de um imóvel cadastrado no setor de habitação pagando IPTU.

A demolição, segundo os populares, tem como finalidade construir um santuário em homenagem à memória das vítimas.

Notícias relacionadas