Raikkonen vence GP da Turquia, mas se aproxima pouco de Alonso - WSCOM

menu

Internacional

21/08/2005


Raikkonen vence GP da Turquia,

O finlandês Kimi Raikkonen reduziu mais um pouco a vantagem do espanhol Fernando Alonso na liderança do Campeonato Mundial de Fórmula 1. O piloto da McLaren venceu o GP da Turquia, quase de ponta-a-ponta, no circuito de Istambul, neste domingo, mas ainda está 24 pontos atrás de seu principal concorrente.

Essa foi a quinta vitória de Raikkonen na temporada, e a segunda consecutiva. No GP da Hungria, há três semanas, ele já havia tirado dez pontos de vantagem de Alonso, que abandonara a corrida. Agora, o finlandês tem 71 pontos, contra 95 do espanhol, faltando cinco etapas para o fim do campeonato.

Dessa vez, Alonso, que não tinha sua Renault em condições de equilíbrio com a McLaren, foi cauteloso. O espanhol, dono de seis vitórias na temporada, arriscou pouco e terminou na segunda colocação, com quase 30 segundos de atraso em relação ao vencedor.

E Alonso ainda contou com a sorte para faturar pontos a mais no fim da corrida. Ele estava em terceiro com mais de sete segundos de desvantagem para Juan Pablo Montoya, companheiro de Raikkonen, o segundo. Mas o colombiano saiu da pista duas vezes nas últimas três voltas e permitiu a ultrapassagem ao espanhol.

Rubens Barrichello, da Ferrari, foi o único brasileiro a terminar a prova. Com seu carro rendendo pouco, ele largou na 11ª posição e, mesmo com um pit-stop a menos que a maioria dos pilotos, terminou em décimo.

Felipe Massa, que está na Sauber mas já de saída para a Ferrari em 2006, teve falta de sorte. Após a largada, ele foi jogado para fora da pista pelo alemão Nick Heidfeld e, na tentativa de voltar, teve o carro tocado por Mark Webber.

Ele, que largou em oitavo lugar e tinha boas condições de fazer boa prova, teve de ir para os boxes e voltou para a pista em último. O brasileiro fazia uma prova de recuperação e estava em 11º lugar, quando teve de abandonar a corrida na 29ª volta por causa de problemas no motor.

O alemão Michael Schumacher, heptacampeão mundial, foi um perfeito figurante na prova deste domingo. Ele largou dos boxes, depois de rodar no treino classificatório e começou bem.

Rápido, o alemão estava em 11º lugar depois de duas voltas, mas, na 14ª volta, se envolveu em um acidente com Mark Webber ao tentar ultrapassar o australiano. Teve de ir para os boxes para trocar três pneus e não teve o mesmo rendimento.

Com isso, ficou perambulando em posições intermediárias até abandonar a corrida quando faltavam seis voltas para o fim. Mesmo assim, manteve a terceira posição na classificação geral, com 55 pontos.

A corrida

O primeiro Grande Prêmio da história na Turquia começou com bastante emoção e foi acirrado até a metade. Logo na largada, Giancarlo Fisichella, da Renault, dividiu a curva com Raikkonen e levou a melhor, derrubando o finlandês para segundo.

O piloto da McLaren, porém, se recuperou antes mesmo do fim da primeira volta e assumiu a ponta para não mais perdê-la. Logo depois, a Renult fez uso do jogo de equipe e trocou de posições entre Alonso e Fisichella para impedir o avanço de Montoya para cima do espanhol.

Enquanto isso, os pilotos da Williams provocaram alguns incidentes, com Nick Heidfeld e Mark Webber tendo pneus furados antes mesmo das dez primeiras voltas.

Enquanto isso, Raikkonen disparava na ponta, e o inglês Jenson Button, da BAR, tinha excelente desempenho. Depois de largar em 13º, ele já figurava entre os seis primeiros na 15ª volta -no fim acabou em quinto.

A prova voltou a ter emoção na 20ª volta, quando começaram os pit-stops. Isso provocou uma mudança nas primeiras colocações, com Montoya assumindo o segundo lugar ao ultrapassar os dois carros da Renault. A partir daí, a prova foi tranqüila com os pilotos mantendo suas posições.

A essa altura, Michael Schumacher já não tinha esperança de pontuar por ter-se envolvido em acidente com Mark Webber, Rubens Barrichello guiava apenas para completar a prova, enquanto Felipe Massa tentava se recuperar depois da troca de asa dianteira em sua Sauber na primeira volta.

Os pilotos de frente passaram sem modificações pelo segundo pit-stop, quando faltavam 15 voltas para o fim, mas a emoção não havia acabado. Quando faltavam três voltas, Montoya tentou ultrapassar o retardatário português Tiago Monteiro, da Jordan, e sofreu um toque em seu carro.

Ao deixar a pista, perdeu cinco segundos e sofreu aproximação de Alonso. Com o carro desequilibrado, o colombiano só não sofreu pressão maior porque o espanhol estava cauteloso. Mesmo assim, após uma reta, não conseguiu fazer a curva e permitiu a ultrapassagem de Alonso, que ganhou mais dois importantes pontos, com a segunda colocação.

Mesmo com o deslize, Montoya voltou para a pista e terminou em terceiro lugar, seguido pelo italiano Giancarlo Fisichella, por Jenson Button e pelo italiano Jarno Trulli. Completaram a zona de pontuação o escocês David Coulthard e o dinamarquês Christian Klien.

Notícias relacionadas