PT resolve permanecer de forma coesa na base aliada de Ricardo - WSCOM

menu

Política

30/10/2005


PT resolve permanecer de forma

O diretório municipal do PT reuniu-se neste domingo, 30, para decidir sobre encaminhamentos do âmbito municipal. Na pauta, a relação do partido como base aliada do prefeito Ricardo Coutinho. Após uma discussão acirrada entre grupos divergentes do deputado Luiz Couto, que defendia a manutenção do apoio, e Júlio Rafael e Avenzoar Arruda, a favor de uma relação mais independente, venceu a manutenção de uma base coesa.

Antes da votação Frei Anastácio, presidente do diretório estadual do PT, fez uma análise positiva do governo Ricardo Coutinho que, segundo ele, tem desempenhado ações no sentido de democratizar a relação com a população. “Nos primeiros meses Ricardo tomou medidas altamente positivas, que merecem ser ressaltadas, a exemplo da política do transporte público; o terminal de integração; a política de renda empreendedoras de João Pessoa; o orçamento participativo; a transparência pública, com prestação de contas dos gastos via internet; a inclusão social, com a criação de coordenadores em vários níveis administrativos para atender mulheres, negros, juventude, etc.”

O deputado não quis antecipar uma posição do partido, mas adiantou que se alinhava com proposta do grupo de Couto. “A nova executiva do partido vai reunir os vereadores para discutir o apoio e ajudar a bancada a ser mais coesa quanto ao governo Ricardo Coutinho”, completou.

Já Avenzoar Arruda disse achar normal uma relação mais independente dos vereadores da câmara. “Esses atores se entendem e se desentendem sem necessariamente haver rupturas. Nada impede de termos uma relação de apoio, mas divergindo em pontos importantes” e acrescentou, “neste momento nós temos um problema que precisa ser resolvido”, referindo-se ao rompimento do vereador Benilton Lucena com a base aliada.

“É uma posição muito complexa e não vai ser resolvida de mão única. Nós não podemos aceitar que um vereador do PT seja desmoralizado por um secretário do poder executivo”, disse, lembrando o desentendimento entre o secretário da educação Walter Galvão e o vereador. “Quando o governo estiver apresentando coisas que sejam contraditórias ao interesse público, ao nosso juízo, nós vamos enfrentar o governo. Isso é uma questão clara. Portanto, o vereador Benilton está agindo dentro das normas partidárias”, defndeu.

Cenário nacional – Sobre reportagem desta semana da revista Veja, que traz denúncia sobre a campanha do presidente Lula, que afirma que a campanha recebeu financiamento ( 3 milhões) do governo cubano. Avenzoar disse não ver consistência na denúncia.

“É um disse não disse. Mas é uma denúncia perigosíssima e precisa ser apurada. A revista Veja vem fazendo uma campanha sistemática contra o partido e o governo. Pode ser que essa seja mais uma daquelas denúncias que o Burati fez contra o Palloci e que a gente viu que não tinha nenhuma consistência”, afirmou. “Tudo que eu vi até agora me parece muito como uma reação do PSDB à proposta do PT de entrar com um pedido de cassação do senador Azeredo”, alegou.

Mas alertou que o governo não pode deixar de averiguar. “Eu acho que o governo tem o dever de prestar os devidos esclarecimentos”, completou.

Notícias relacionadas