PT divulga nota com pedido formal de desculpas - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

17/08/2005


PT divulga nota com pedido

O PT divulgou, em nota, pedido formal de desculpas do partido à Nação. A resolução da Comissão Executiva Nacional foi aprovada ontem à noite e é assinada pelo secretário-geral da legenda, deputado Ricardo Berzoini (PT-SP). “O Partido, com esta resolução, faz o seu primeiro pedido de desculpas à Nação, pois os atos que nos comprometem, moral e politicamente perante os brasileiros, foram cometidos por dirigentes do PT, sem o conhecimento de suas instâncias. Quando tivermos um quadro completo das responsabilidades, como as já assumidas pelo nosso ex-tesoureiro, elas serão amplamente divulgadas à sociedade brasileira”, diz a resolução.

O partido reconhece que as denúncias envolvendo o uso de caixa dois nas campanhas criaram uma situação de constrangimento para o PT e para o governo. “É impossível avaliar, neste momento, a profundidade e a gravidade de tais danos. Estamos recompondo nossa vida interna, reorganizando as nossas estruturas administrativas e procurando responder à crise política para defender a continuidade com normalidade do governo Lula”, afirma a nota.

O partido marcou para o dia 27 de agosto a realização de manifestações que deverão ser promovidas pelos diretórios da sigla. “Executiva Nacional orienta todos os seus Diretórios Municipais para que promovam debates e manifestações em defesa do PT, contra a corrupção e a impunidade, e em defesa do governo Lula”, afirma a resolução do partido.

No documento, o partido defende uma reforma política e apóia a ampliação para o final desde ano do prazo para a votação de mudanças na lei eleitoral, para que elas possam ser usadas nas eleições de 2006. “O PT defende um ampla reforma política, com fidelidade partidária rigorosa e financiamento público e redução dos custos de campanhas, com vigência ainda para as eleições de 2006”, diz a resolução da Executiva do partido.

Na nota, o PT manifesta confiança no presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a disposição da sigla de defender o seu mandato. Ao mesmo tempo, pede medidas do governo para o crescimento do País, combinando estabilidade econômica com distribuição de renda. A resolução aponta a necessidade de uma reforma política como saída para a crise e cobra também propostas concretas para aprofundar o combate aos crimes de natureza financeira.

A executiva do partido defende que o governo elabore um Orçamento para o próximo ano que destine mais recursos para investimentos públicos em infra-estrutura e habitação popular, para recuperação do poder de compra do salário mínimo, para a implementação da reforma agrária, além de mais investimentos em educação, saúde e combate à pobreza.

Notícias relacionadas