PSDB fecha ‘chapão’ com 14 partidos para majoritária e deve indicar hoje segundo - WSCOM

menu

Política

17/06/2006


PSDB fecha ‘chapão’ com 14

O PSDB fechou até o momento acordo com 14 partidos para o ‘chapão’ da majoritária, e acredita que até o dia 30 esse número possa chegar a 20. A informação é do secretário geral do PSDB, João Fernandes. A convenção do partido está sendo realizada no Forrock desde às 9h. O governador Cássio Cunha Lima, o deputado José Lacerda, o ex-prefeito Cícero Lucena e Carlos Dunga já confirmaram que devem estar chegando por volta das 15h.

Os partidos que irão fazer parte do ‘guarda-chuva’ do PSDB são: PFL, PTB, PL, PTN, PPS, PV, PVHS, PSC, PRTB, PDT, PRP, PP, PPS e PTC, segundo lista repassada por Fernandes.

“A minha lista pode ainda estar incompleta. Hoje nós autorizamos a executiva a manter entendimento até o último dia, que é o dia 30, o último dia para realização de convenções e para homologação de entendimento”, explica.

Fernandes disse que ficou decidido que os partidos podem se coligar na proporcional da forma que acharem melhor.

“Essas coligações podem ser a mesma ou podem se quebrar em pedaços, no entanto são pedaços do todo para a grande coligação. Se eventualmente para deputado federal algum partido não queira integrar a coligação total é um direito dele, nós vamos respeitar, até porque nós contamos com ele na chapa majoritária”, argumenta.

Senado – Fernandes informou ainda que hoje será decidido o nome para a segunda suplência de Cícero Lucena. O deputado federal Carlos Dunga (PTB-PB) já havia decidido participar da primeira suplência.

“Embora a gente esteja perdendo um deputado federal, Carlos Dunga vem enriquecer a chapa de Cícero Lucena, porque ele é do sul do sertão paraibano e Cícero é do norte, um radicou-se em Boqueirão e Campina Grande e outro se radicou em João Pessoa”, revela.

O secretário acredita que falta pouco para ser revelado o nome do segundo suplente. “Tem um convidado, mas o governador precisava conversar com Cícero, precisava tirar dele o sim ou o não sobre o nome”, explica.

Entretanto, Fernandes disse que nome não será problema. “Se ele (Cícero) não aceitar, com certeza está sobrando candidato a suplente. Eu já vi hoje dois ou três candidatos doidos para serem candidatos a segundo suplente de Cícero”, brinca.