Protestos dos caminhoneiros continuam e número de ônibus reduz 50% em JP - WSCOM

menu

Paraíba

24/05/2018


Protestos dos caminhoneiros continuam e número de ônibus reduz 50% em JP

Faltam combustíveis em quase 80% dos postos da Paraíba, diz o Sindipetro

Foto: autor desconhecido.

O quarto dia do protesto dos caminhoneiros na Paraíba continua trazendo consequências para população do estado. Na manhã desta quinta-feira (24), os manifestantes continuam interditando, parcialmente, a BR-101, na capital, e saída de combustíveis no Porto de Cabedelo, na Grande João Pessoa.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), além da capital, mais nove rodovias no estado permanecem interditadas por conta dos protestos.

Segundo o Sindicato Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado da Paraíba (Sindipetro), cerca de 80% dos postos estão sem algum tipo de combustível, como gasolina, etanol ou diesel e, por conta disso, 30% já estão fechados.

As linhas de ônibus seguem apenas com 50% da frota nesta quinta, como informou o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivos Urbanos de João Pessoa (Sintur-JP). A redução do transporte público começou com a diminuição de 25% dos veículos desde a quarta-feira (23).

O governo 

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, anunciou na noite dessa quarta, a decisão da diretoria da empresa de reduzir, pelos próximos 15 dias, o preço do óleo diesel nas refinarias do país em 10%. A medida representa economia de R$ 0,25 por litro do combustível para o consumidor final.

Justiça

Uma liminar proferida na noite dessa quarta, determinou que os movimentos de protesto, realizados pelos caminhoneiros, não impeçam ou dificultem o acesso de veículos prestadores de serviço à Petrobrás ao Porto de Cabedelo ou bloqueiem seu trânsito em vias de acesso ao terminal de distribuição.

O pedido da própria Petrobrás, foi apreciado pelo juiz da 2ª Vara Mista de Cabedelo, Antônio Silveira Neto e deferido devido ao risco de desabastecimento de combustíveis no estado. Ele determinou ainda o envio de ofícios às autoridades para o uso de força policial, se houver necessidade. A intenção é de garantir o cumprimento da decisão.

 

Notícias relacionadas