Promotor recebeu inquérito sobre chacina do Rangel e deve oferecer denúncia cont - WSCOM

menu

Policial

20/07/2009


Promotor recebeu inquérito sobre chacina

O promotor substituto do 1º Tribunal do Júri da Capital, José Guilherme Lemos, tem prazo de cinco dias para oferecer denúncia contra Carlos José dos Santo Lima, 25 e sua mulher Edileuza Oliveira dos Santos, 26, réus confessos da Chacina do Rangel.

Na tarde desta segunda-feira, 20, o representante do Ministério Público recebeu o inquérito policial presidido pelo delegado Deusdeth Leitão Filho, que trata das mortes de cinco pessoas, entre elas uma mulher grávida de gêmeos.

Após decidir pela denúncia ou não, o inquérito será entregue ao juiz Marcos William. O magistrado terá a missão de decidir se aceita ou não a denúncia. Em caso positivo deve marcar a data de interrogatório do casal. Carlos José está preso no Presídio PB1, em Jacarapé, considerado de segurança máxima, enquanto que Edileuza no Presídio Feminino ‘Maria Júlia Maranhão’, ambas em Mangabeira.

O representante do Ministério Público já iniciou a análise do inquérito policial, onde consta inicialmente que Carlos José poderia ter sido o único autor da chacina, no entanto, um garoto de 11 anos que sobreviveu a chacina se escondendo debaixo da cama narrou de que Edileuza foi a autora das mortes das crianças e da mulher.

O outro filho do casal assassinado permaneceu internado no Hospital de Emergência e Trauma, pois também foi vítima dos golpes de facão. Ele recebeu alta no final da semana passada e está sob a custódia dos tios.

Notícias relacionadas