Projeto Pinxiguinha recomeça em CG com Celso Fonseca, Martália e Rogéria Holtz - WSCOM

menu

Entretenimento

07/08/2005


Projeto Pinxiguinha recomeça em CG

Na sexta-feira, 12 de agosto, chega a Campina Grande – para subir no palco do Teatro Municipal Severino Cabral em show às 18h30 – o carioca Celso Fonseca e sua música moderna e dançante, a MPB recheada do balanço do samba de Mart´nália e a voz apurada da paranaense Rogéria Holtz, acompanhados por Ana Costa (violão e cavaquinho), Ezequiel Piaz (violão), Guto Wirtti (baixo), Cesinha (bateria), Luiz Paulo (percussão) e Thiago Silva (percussão).

A caravana vem de Salvador, Aracaju, Maceió e João Pessoa e, depois de Campina Grande, segue para Natal, Recife e Fortaleza, pisando firme na estrada que leva à mais rica troca de experiências artísticas – no palco e com o público, que tem o prazer de assistir à magia da integração de muitos estilos e linguagens de diversas regiões do país. Uma mistura deliciosa que é a cara do Brasil.

A vinda do Projeto Pixinguinha à Campina Grande confirma o sucesso que as caravanas registraram no ano passado e a importância da cidade no cenário cultural da região. Segundo o secretário de educação, Flávio Romero, garantir a implementação do Projeto Pixinguinha em Campina Grande é permitir que a comunidade campinense possa ter acesso a apresentações artísticas de qualidade inquestionável. Este ano, já estiveram em Campina Grande pelo Projeto: Joice Moreno, Márcia Siqueira e Sérgio Santos.

Na direção do show, a assinatura de Luiz Fernando Lobo, um dos mais respeitados e prestigiados encenadores brasileiros – que criou em 1993 a Companhia Ensaio Aberto. Autor e diretor de espetáculos consagrados como “Companheiros” e “Filhos do Silêncio”, Luiz Fernando tem, atualmente, viajado pelo país e exterior na direção de “Missa dos Quilombos”, criado por Milton Nascimento, Pedro Tierra e Dom Pedro Casaldáglia.

Ele lembra que “O Pixinguinha tem uma importância capital e fundamental. É a prova do que já sabemos há anos, que existe um mercado para música boa, de qualidade, e um canal para divulgação dessa música. Por isso, os shows são um sucesso e as casas estão sempre lotadas”. No desenho da luz, atua Rogério Emerson.

Artistas

CELSO FONCESA – Compositor, guitarrista e produtor, o carioca Celso Fonseca estreou profissionalmente, em 1981, acompanhando o saxofonista Roberto Guima. Em seguida passou a integrar a banda de Gilberto Gil, o que lhe abriu as portas para tocar com outros grandes nomes da MPB, como Milton Nascimento, Djavan, Chico Buarque, Elza Soares e João Bosco, entre outros artistas.Sua carreira começou em 1986, com Vinícius Cantuária, para quem produziu dois discos e, em seguida, trabalhou com Gilberto Gil, Virgínia Rodrigues, Gal Costa e outros. Como compositor, sua carreira começa em 1983, quando iniciou suas primeiras parcerias com Ronaldo Bastos. Logo a música Sorte foi gravada por Gal Costa e depois disso a dupla Fonseca-Bastos foi gravada por muitos cantores, como Nana Caymmi (A Noite É Meu Ópio e Flor Lunar), Zizi Possi (Mania), Maria Bethânia (Sei de Cor), Ney Matogrosso (Um Rei). Hoje, Celso Fonseca tem vários outros parceiros como Waly Salomão, Carlinhos Brown e Gilberto Gil.

MART´NÁLIA – Mart’nália samba desde que nasceu. Desde pequena já acompanhava o pai, Martinho da Vila, às rodas de Vila Isabel, e foi assim que se apaixonou pela música, aprendendo a cantar, tocar violão e pandeiro.

Chegou a gravar dois discos “de brincadeira”, como ela diz. Agora, colhe os frutos gerados por Pé do Meu Samba seu terceiro álbum, (que considera o primeiro “de verdade”), produzido por Celso Fonseca. Transpor tal sucesso para o palco não foi difícil. Mart’nália toma o palco com intimidade, como se ele fosse a mesa de seu bar favorito. E puxa o público para a festa. A cumplicidade entre artista e platéia vem imediatamente. Pelo menos é isso o que se tem visto desde que Pé no Meu Samba – o show – estreou, em setembro de 2002. De lá pra cá, o show já virou disco em outubro de 2004 e também cd ao vivo e dvd gravado no Olimpo, com participações de Caetano Veloso, Celso Fonseca, Djavan, Martinho da Vila,Moska e Zélia Duncan.

Depois de participar, em 1º de maio, do Encontro Tim na praia de Copacabana com o Marcelo D2, Marisa Monte e Paulinho da Viola, Mart´nália saiu em junho em tournée pela Europa, dando o pontapé inicial pelo 15º Festival Latino Americano em Milão, e depois para Porto, Lisboa e Paris. Agora, se apresenta pela primeira vez no Projeto mostrando, além das canções do novo cd, alguns sambas e sambas-canções que não estão no disco, mas que ela adora cantar:

Sonho Meu (Dona Yvonne Lara/ Délcio Carvalho), Me Deixa em Paz (Ayrton Amorim/ Monsueto), Para um Amor no Recife (Paulinho da Viola), Preciso me Encontrar (Candeia) e Alguém me Avisou (Dona Yvonne Lara).

ROGÉRIA HOLTZ – Paranaense, a cantora Rogéria Holtz, já arrebatou 5 prêmios em festivais, entre eles o Troféu Saul Trumpet, em 98, a mais importante premiação musical de seu estado natal. Atuando como contralto do Grupo Vocal Brasileirão,comandado pelo maestro Marcos Leite, foi selecionada pelo SESC – São Paulo para participar do projeto Balaio Brasil, com show de poesia e música em dupla com Alice Ruiz.

Seu primeiro cd, Acorda, veio em 2003, trazendo músicas de compositores paranaenses, interpretadas somente à base de cordas. Em dezembro de 2003, fez o encerramento do Circuito Cultural Banco do Brasil, abrindo o show de Ney Matogrosso. Em 2004, Rogéria passou a estender sua música a novos palcos, em São Paulo, Santos e Palmas, no Tocantins, dentro do Projeto Sons do Brasil. Em mais um encontro com Alice Ruiz, apresentou-se no Sesc Pinheiros, em novembro. A parceria de música e poesia se repetiria novamente, desta vez no circuito off da FLIP, Festa Literária Internacional de Paraty, na edição deste ano, em mais um espetáculo da dupla. www.rogeriaholtz.com.br

Notícias relacionadas