Projeto denomina de “Shaolin” o Centro Comercial e Cultural Cine Capitólio - WSCOM

menu

Artes

08/06/2018


Projeto denomina de “Shaolin” o Centro Comercial e Cultural Cine Capitólio

Foto: autor desconhecido.

O vereador Márcio Melo Rodrigues (PSDC), de Campina Grande, apresentou projeto de lei na Câmara Municipal de Campina Grande denominando de “Francisco Josenilton Veloso (Shaolin)” o Centro Comercial e Cultural Cine Capitólio, a ser implantado pela Administração do prefeito Romero Rodrigues.

Segundo o autor da matéria “prestamos esta justa e sincera homenagem denominando de Shaolin o Centro Comercial e Cultural Cine Capitólio. O prédio do antigo Cine Capitólio a ser reformado pelo Governo do prefeito Romero Rodrigues é um grande empreendimento que trará inúmeros benefícios para Campina Grande, e nada mais justo do que homenagear a memória de um grande paraibano”.

Francisco Josenilton Veloso, Shaolin, nasceu em Coremas (PB), no dia 8 de maio de 1971. Começou sua carreira profissional atuando no Teatro Municipal Severino Cabral, de Campina Grande. Foi cartunista político do jornal A Palavra, do Jornal da Paraíba e da Revista Nordeste, além de radialista na Rádio Campina Grande.

Foi cartunista, caricaturista, humorista e ator, tendo levado a todo o Brasil a sua arte, a arte da Paraíba, e nada mais merecido que a sua memória seja perpetuada num empreendimento desse porte, justificando-se plenamente este tributo a um homem que dedicou a sua vida ao riso e a diversão.

Fez participação em grandes programas da televisão brasileira, como Domingão do Faustão, A Praça É Nossa, Show do Tom entre outros. Seu último trabalho foi no programa Tudo é Possível com Ana Hickmann, parodiando famosos, como Leonardo, Joelma Mendes da Banda Calypso, Zezé de Camargo entre outros. Casou-se em dezembro de 1994 com Laudicéia Veloso, com quem teve dois filhos.

Shaolin ficou mais conhecido no Brasil pelas piadas que contava e imitações de artistas que fazia. Antes de fazer sucesso nos programas de rádio e televisão, era chargista e tinha publicações em jornais impressos do estado da Paraíba entre as décadas de 80 e 90. Em suas charges ele abordava, na maior parte do tempo, temas envolvendo a política local. Ainda nas primeiras charges feitas, o humorista assinava suas obras com o nome “Nilton” e depois passou a usar o nome artístico “Shaolin”.

Shaolin sofreu um acidente no dia 18 de janeiro de 2011 na rodovia federal BR-230, em Campina Grande. Em 2015, quatro anos após o acidente que o deixou em coma, Shaolin conseguia se comunicar e interagir com a família através de “expressões faciais e dos olhos”, conforme relatou sua esposa Laudicéia Veloso.

Infelizmente morreu aos 44 anos em 14 de janeiro de 2016, após uma parada cardiorrespiratória. O humorista não conseguia falar e se comunicava com expressões faciais. Mesmo com dificuldades, Shaolin era ativo na vida da família Veloso. Ele estava 100% consciente.

Um ano antes do seu acidente, juntamente com amigos e colaboradores, o humorista idealizou um projeto social intitulado ‘LIA’ cujo nome significa ‘Lealdade, Igualdade e Amor’. O projeto tinha um único e específico objetivo que era ajudar pessoas carentes da cidade de Campina Grande com a distribuição de sopa gratuitamente. No total eram feitos 150 litros de sopa e distribuídos entre as pessoas.

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues decretou luto oficial de três dias por causa da morte do comediante, ressaltando que ele era um patrimônio do povo campinense e paraibano, cuja perda é significativa.

“Por tudo o que fez e construiu justifica-se esta homenagem do povo e da terra que muito amou”, segundo o autor da propositura.

Notícias relacionadas