Produtores rurais argentinos retomam protestos - WSCOM

menu

Internacional

08/05/2008


Produtores rurais argentinos retomam pro



Setor rural argentino pretende interromper exportações de grãos

Os produtores rurais argentinos anunciaram nesta quarta-feira que vão intensificar seus protestos contra o governo da presidente Cristina Kirchner com uma mobilização de oito dias, até 15 de maio.

Apesar de prometerem não bloquear estradas, como nos protestos anteriores, os produtores afirmaram que irão interromper as exportações de grãos, além de manter a mobilização nos acostamentos das rodovias.

Os protestos do setor rural argentino, iniciados em março, foram motivados pelo aumento de impostos sobre as exportações agropecuárias, principalmente de soja.

As manifestações envolveram o bloqueio de estradas e panelaços nas principais cidades argentinas, provocaram desabastecimento no país e se transformaram na maior crise enfrentada pela presidente Cristina Kirchner desde que assumiu o poder, em dezembro passado.

Na última quinta-feira, depois de uma trégua de um mês, os produtores anunciaram que não houve acordo nas negociações com o governo e que iriam retomar os protestos.

Segundo o correspndente da BBC em Buenos Aires, Daniel Schweimler, como a Argentina é um importante exportador, uma paralisação prolongada, com a interrupção das exportações de grãos, poderá ter impacto no mercado internacional, em um momento em que os preços mundiais dos alimentos enfrentam forte alta.

O chefe de gabinete do governo argentino, Alberto Fernández, que liderou as fracassadas negociações com o setor rural, acusou os produtores de extorsão e culpou as entidades rurais pela recente alta nos preços dos alimentos.

Notícias relacionadas