Primeiro-ministro da Itália volta aos tribunais pela 2ª vez em 15 dias - WSCOM

menu

Internacional

11/04/2011


Primeiro-ministro volta aos tribunais

Itália

Foto: autor desconhecido.

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, voltou a comparecer nesta segunda-feira (11) ao Tribunal Penal de Milão pela segunda vez em 15 dias para participar de uma nova audiência do julgamento Mediaset, no qual é julgado por um suposto delito de fraude fiscal.

O chefe do governo italiano, que já tinha ido no dia 28 de março perante a mesma instância da cidade por causa do processo Mediatrade, após uma ausência nos tribunais de cerca de oito anos, chegou por volta das 9h45 (hora local, 4h45 de Brasília) protegido por grandes medidas de segurança, como mostraram as imagens de televisão que capturaram ao vivo a chegada.

No meio dos aplausos de seus seguidores, Berlusconi entrou diretamente no recinto do Tribunal de Milão a bordo de um carro oficial, sem descer para fazer declarações aos vários jornalistas nacionais e internacionais que esperavam sua chegada.

Já dentro do prédio, e questionado pelos jornalistas sobre a possibilidade de ser condenado por este caso, Berlusconi, minimizou a hipótese.

– Nem em sonho, não façamos rir.

O primeiro-ministro também se referiu ao caso Ruby, no qual é julgado por suposto abuso de poder e incitação à prostituição de menores e sobre o qual afirmou que "em um país cívico as escutas telefônicas não podem ser levadas a processo porque são manipuláveis".

– Há uma magistratura que trabalha contra o país.

Em tom irônico, ele ainda comentou que "como o governo tem pouca coisa para fazer", vai ao Tribunal de Milão para encontrar "outra ocupação".

Na parte de fora do Palácio de Justiça da capital lombarda uma centena de seguidores do premiê aguardava sua chegada com grandes balões azuis e cartazes nos quais se podia ler "Silvio, você deve resistir", contrastando com os opositores do político, que também se amontoavam no local.

No começo da audiência, realizada a portas abertas, mas sem fotógrafos nem câmeras de televisão, os juízes revogaram a declaração de "contumácia" (rebeldia) que opinaram sobre Berlusconi na anterior audiência, quando ele não se apresentou nem justificou sua ausência por compromissos oficiais.

Após vários meses suspenso à espera de que o Tribunal Constitucional se pronunciasse sobre o último escudo judicial de Berlusconi, o julgamento Mediaset foi retomado no diz 28 de fevereiro com uma audiência à qual o primeiro-ministro não foi.

O Tribunal de Milão julga a compra e venda dos direitos de transmissão de filmes americanos por parte da Mediaset (o grupo audiovisual de Berlusconi) sob a suspeita de um aumento artificial do preço real dos direitos para evadir dinheiro ao fisco e desviá-lo para contas no estrangeiro.

Mediaset é apenas um dos processos que Berlusconi tem pendentes no mesmo tribunal: o julgamento Mills (corrupção em ato judicial), o caso Mediatrade (fraude fiscal e apropriação indevida), e o caso Ruby (abuso de poder e incitação à prostituição de menores).

Notícias relacionadas