Presidente do STJ confirma candidatura ao governo do Maranhão e acha que Congres - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

09/03/2006


Presidente do STJ confirma candidatura

EXCLUSIVO – O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Edson Vidigal, está convicto de que será candidato ao Governo do Maranhão com chances reais de se eleger contra a senadora Roseana Sarney. Em entrevista ao WSCOM Online, ele disse que o Congresso Nacional precisa baixar a bola, criticando a postura dos congressistas no caso da Verticalização.

– Há uma frente sendo formada pelo PSB, PT, PC do B, o governador José Reynaldo e outros partidos para consolidar nossa candidatura ao Governo do Maranhão – informou o ministro, que fica no cargo até o final do mês.

Vidigal previu sua vitória sobre a ex-governadora Rosena. “Ela tem ainda a oportunidade de se unir em torno de nosso nome, mas se não quiser ou puder vamos para a disputa, mas não tenho dúvida de que seremos governador”.

O ministro acha que tem perfil de quem saiu da pobreza e galgou altos cargos na vida pública, razão pela qual acha que atende a expectativa do povo maranhense na busca de cara nova na política estadual e com competência comprovada. “Se há uma convocação em favor do meu estado, estou pronto para os novos desafios, que servem para construir novos caminhos para o Maranhão”.

Censura – Para Vidigal, o Congresso Nacional precisa alterar urgentemente a atual postura de arrogância no trato da verticalização definida pelo Tribunal Superior Eleitoral. “O Congresso precisa baixar a bola porque o TSE está apenas cumprindo com a lei em entendimento legal”.

Sobre sua gestão à frente, ele disse que deixa o STJ com a sensação do dever cumprido. “Bem que gostaria de ter executado muito mais, entretanto as circunstâncias externas terminaram influindo no limite das ações, mesmo assim estou plenamente satisfeito com o resultado final”.

O presidente do STJ conversou com o diretor executivo da WSCOM, jornalista Walter Santos, em seu gabinete, sobre temas diversos.

Notícias relacionadas