Portugal duela com o México por liderança e recordes - WSCOM

menu

Mais Esporte

21/06/2006


Portugal duela com o México

Portugal e México se enfrentam nesta quarta-feira em duelo que vale a liderança do grupo D do Mundial da Alemanha. Os portugueses já estão classificados e devem poupar vários titulares, mas afirmam que buscarão a todo custo o 1º lugar. Já os mexicanos, devendo um bom futebol, defendem que buscarão a vitória, mas um empate que lhes garanta a classificação já ficará de bom tamanho.

Nas oitavas-de-final, os dois classificados da chave pegarão as já qualificadas Argentina ou Holanda, que decidem em confronto direto na tarde desta quarta-feira a ordem em que irão à 2ª fase pelo grupo C.

O jogo acontece às 11h de Brasília, em Gelsenkirchen, no estádio em que sete jogadores da seleção portuguesa foram campeões europeus em 2004 pelo Porto contra o Mônaco. No mesmo horário, Angola e Irã jogam na outra partida da rodada final do grupo D. O Irã já está eliminado, ao passo que os angolanos sonham em vencer o jogo por bom placar e se classificar à próxima fase com uma derrota do México para os portugueses.

Para Portugal – especialmente para o treinador Luiz Felipe Scolari -, o jogo pode valer algumas marcas importantes, após as duas vitórias no Mundial contra Angola e Irã. O técnico ampliaria sua série inédita de nove partidas vencidas na Copa do Mundo, o time faria crescer sua maior seqüência invicta de 16 jogos, e Scolari acrescentaria uma nova partida ao seu total de 29 triunfos com os lusos.

Já o México, que pela 1ª vez entrou como cabeça-de-chave em uma Copa, precisa lutar para evitar o fiasco de uma desclassificação ainda na primeira fase. Em um grupo no qual se classificariam com suposta facilidade, os mexicanos bateram o Irã por 3 a 1, mas se complicaram ao empatar por 0 a 0 com Angola na 2ª rodada.

Os times vão para a partida desta quarta em estado de ânimo distintos. Portugal obteve a classificação para as oitavas-de-final 40 anos depois da última ocasião em que chegaram aos mata-matas da Copa, quando a seleção liderada por Eusébio terminou em 3º lugar no Mundial de 1966.

Após as péssimas campanhas de 1986 e 2002, quando o time caiu na fase inicial, os portugueses se entusiasmaram com as duas vitórias consecutivas – o que não ocorria desde 1966 também. No primeiro treino da seleção após os 2 a 0 sobre o Irã no último sábado, mais de 12 mil torcedores foram ao estádio saudar os jogadores.

Scolari ganha cada vez mais espaço junto aos portugueses, e as negociações para sua permanência no cargo tem avançado durante a Copa. Já o trabalho do argentino Ricardo La Volpe à frente do México enfrenta fortes críticas que se acentuam a cada jogo em que a equipe não vai bem. Recolhidos após a boa estréia contra o Irã, os críticos voltaram à toda carga depois do 0 a 0 com Angola, questionando especialmente a incapacidade ofensiva que tem se tornado recorrente no time.

Com relacionamento recheado de polêmicas junto à imprensa mexicana, La Volpe inventou moda esta semana e resolveu fazer graça com as equipes de jornalismo que acompanham a equipe, jogando água nos fotógrafos. O gesto, que poderia ser tomado como uma brincadeira do treinador, foi recebido e avaliado de forma dúbia e emblemática do momento da equipe, que tenta se descontrair mas não consegue esconder uma certa tensão.

Contra Portugal, os mexicanos não poderão contar com seu maior artilheiro, Borgetti, que não jogou contra Angola e ainda se recupera de uma lesão na coxa esquerda. Já o zagueiro Rafa Márquez, do Barcelona, o atacante Guillermo Franco, do Villarreal, e o meia Zinha, do Toluca, passaram boa parte desta semana aos cuidados do departamento médico, mas devem jogar.

As maiores críticas lançadas às vésperas do Mundial ao trabalho de Scolari – referentes, por exemplo, à ausência de mais jogadores do Porto na seleção -, se enfraqueceram com a boa campanha inicial. E, durante a semana, a maior discussão na comissão técnica portuguesa para o jogo desta quarta referiu-se à escolha por poupar ou não os cinco atletas pendurados com um cartão amarelo. Por essa questão, ao que tudo indica, Deco, Cristiano Ronaldo, Pauleta, Costinha e Nuno Valente não devem jogar.

Enquanto se preparam para o jogo desta quarta-feira, mexicanos e portugueses já esquentam o clima para as oitavas-de-final contra Holanda ou Argentina – mesmo sem que o México tenha assegurado sua passagem. Felipão já disse que Portugal pode vencer as duas possíveis rivais. O meia argentino Saviola afirmou que prefere pegar o México. E o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Gilberto Madaíl, revelou que gostaria de enfrentar os argentinos.

As seleções de Portugal e México se enfrentaram somente uma vez na história, em partida disputada em abril de 1969 em Lisboa, que terminou sem gols.

PORTUGAL X MÉXICO

Data:21/06/06

Local: Veltins-Arena, em Gelsenkirchen (Alemanha)

Horário: 11h (de Brasília)

Árbitro: Lubos Michel (SVK)

Assistentes: Roman Slysko e Martin Balko (SVK)

Prováveis escalações:

Portugal:

Ricardo; Miguel, Fernando Meira, Ricardo Carvalho, Caneira; Tiago, Petit, Maniche, Figo, Simão; Nuno Gomes.

Técnico: Luiz Felipe Scolari.

México:

Sánchez; Salcido, Rafa Márquez, Osorio; Méndez, Torrado, Pardo, Pineda, Zinha; Bravo e Guillermo Franco.

Técnico: Ricardo La Volpe.

Notícias relacionadas