Por folga, Palmeiras vence colombianos em casa - WSCOM

menu

Mais Esporte

03/03/2006


Por folga, Palmeiras vence colombianos

O plano traçado por Emerson Leão na Copa Libertadores, por enquanto, foi cumprido à risca. Com o intuito de evitar sufoco na busca por uma vaga nas oitavas-de-final, o Palmeiras conseguiu sua primeira vitória na fase de grupos na noite desta quinta-feira ao superar por 3 a 2 o Atlético Nacional, da Colômbia, no estádio do Parque Antarctica.

A meta estipulada pelo técnico brasileiro é simples. O time alviverde precisa triunfar em seus três compromissos em casa e ao menos empatar nos outros três fora. E, até aqui, o elenco mostrou obediência, somando três pontos em seu primeiro jogo como mandante nesta fase.

Na estréia, longe de São Paulo, o Palmeiras conseguiu segurar igualdade sem gols com o Cerro Porteño. O time paraguaio, inclusive, possui os mesmos quatro pontos dos brasileiros, que levam desvantagem no saldo de gols (2 a 1) e por isso figuram na vice-liderança.

A tática adotada por Leão para alcançar com folga um lugar no mata-mata não é uma novidade para o treinador. No ano passado, à frente do São Paulo, o atual comandante palmeirense esboçou o mesmo objetivo e totalizou os 12 pontos, seguindo todos os passos que hoje servem de estímulo no Parque Antarctica.

Melhor para a torcida alviverde, que na edição anterior da Libertadores sofreu até a última rodada. Na oportunidade, mesmo atuando em casa, o time não saiu de um empate por 0 a 0 com o Cerro Porteño para obter a segunda posição do Grupo 4 no duelo decisivo.

Os palmeirenses também sofreram, em menor proporção, com os últimos minutos da partida desta quinta, algo considerado “comum” por Edmundo, autor de um gol. “Dramático vai ser sempre e por isso precisamos chegar ao máximo de pontos possível, todos são muito importantes”.

O próximo compromisso do Palmeiras pelo torneio continental é apenas no dia 15 de março. Também no Parque Antarctica, às 21h45, a equipe de Emerson Leão recebe o Rosário Central, da Argentina, pela terceira rodada da fase de grupos.

Mas antes de voltar suas atenções novamente para a Libertadores, o time alviverde tenta se manter na ponta da tabela do Campeonato Paulista. O jogo seguinte na competição regional é neste domingo, quando realiza o clássico com o Santos na Vila Belmiro, às 16h.

O jogo

Apesar de atuar fora de casa e contra uma torcida que não poupou incentivo no início, o Atlético Nacional começou a partida com uma marcação adiantada, tentando diminuir os espaços do Palmeiras. E, assim, teve a primeira grande chance do jogo com Marcelo Ramos, que chutou de fora da área aos 7min e acertou a trave esquerda de Sérgio.

A resposta alviverde não tardou. Aos 10min, o goleiro Saldarriaga errou feio após recuo e fez a defesa com a mão. No tiro indireto, porém, Edmundo rolou mal e a zaga cortou. Logo em seguida, o camisa 7 do Palmeiras chegou perto de inaugurar o placar. Depois de dividida pelo alto dentro da área, Edmundo pegou a sobra e bateu firme. A bola bateu na defesa colombiana, e a zaga afastou o perigo.

Aos 18min, porém, o Atlético não resistiu. Márcio Careca fez cruzamento na medida da esquerda e Marcinho, de cabeça, finalizou em direção ao chão para colocar a equipe brasileira em vantagem e fazer a festa da torcida.

Apostando na velocidade, o time colombiano seguiu dando trabalho à defesa anfitriã até conseguir o empate, que saiu aos 31min. Marcelo Ramos recebeu na intermediária, fez bela tabela com Aristizábal, invadiu a área e bateu cruzado na saída de Sérgio para deixar tudo igual no placar.

A alegria do Atlético durou pouco tempo, já que, cinco minutos mais tarde, o árbitro assinalou toque de mão da defesa visitante dentro da área. Na cobrança do pênalti, Edmundo disparou no canto direito e recolocou o Palmeiras na frente.

Pouco antes do intervalo, Casañas deu um susto em Sérgio ao chutar cruzado, da direita, e mandar rente à trave. “Nosso empenho não está sendo bom. A equipe deles toca muito bem e estamos deixando os jogadores deles receberem o passe para só depois marcar. Isso não pode acontecer”, alertou Marcinho.

No segundo tempo, o Palmeiras melhorou na marcação, mas mesmo assim levou um grande susto logo no início.Aos 8min, o árbitro Jorge Larrionda interpretou toque de mão de Correa dentro da área, de maneira equivocada. Aristizábal partiu para a cobrança do pênalti e parou em bela defesa de Sérgio, que saltou no canto direito.

A defesa alviverde voltou a se destacar aos 26min, quando Correa bateu falta da direita e Douglas, de cabeça, anotou o terceiro gol dos anfitriões. A torcida palmeirense ainda comemorava o feito do zagueiro quando, no minuto seguinte, Aristizábal recolocou o Atlético na partida.

O experiente atacante colombiano recebeu bonito passe dentro da área, deixou Sérgio no chão e concluiu com tranqüilidade. Edmundo, Paulo Baier, Marcinho e Washington tiveram mais chances, mas o placar não sofreu alterações. A única mudança foi a expulsão de Passo, nos minutos finais.

PALMEIRAS

Sérgio; Paulo Baier, Douglas (Valdomiro), Leonardo Silva e Márcio Careca; Marcinho Guerreiro, Correa, Ricardinho (Alceu) e Marcinho; Edmundo e Enílton (Washington)

Técnico: Emerson Leão

ATLÉTICO NACIONAL

Saldarriaga; Díaz, Mendoza, Passo e Marín; Chará, Amaya, Casañas (Hurtado) e Aldo (Marugo); Marcelo Ramos e Aristizábal

Técnico: Santiago Escobar

Local: estádio do Parque Antarctica, em São Paulo (SP)

Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai)

Auxiliares: Fernando Falce e Edgardo Acosta (Uruguai)

Cartões amarelos: Díaz (A), Leonardo Silva (P), Edmundo (P)

Cartão vermelho: Passo (A)

Gols: Marcinho, aos 18min, Marcelo Ramos, aos 31min, Edmundo, aos 36min do primeiro tempo; Douglas, aos 26min, Aristizábal, aos 27min do segundo tempo

Notícias relacionadas