Polícia Miltar de Minas Gerais proibe que foliões de bloco façam críticas a Bolsonaro - WSCOM

menu

Brasil

02/03/2019


Polícia Miltar de Minas Gerais proibe que foliões de bloco façam críticas a Bolsonaro

Foto: autor desconhecido.

A Polícia Militar de Minas Gerais resolveu ser a censora do Carnaval em Belo Horizonte e, afrontando a Constituição, proibiu na noite desta sexta-feira (1°), manifestações políticas durante a folia de Belo Horizonte.

 

O bloco Tchanzinho Zona Norte, que saiu na região da Pampulha, foi ameaçado pelos militares que faziam a segurança da atração após puxar grito de repúdio contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, informam os jornalistas Rafael D’Oliveira e Vitor Fernandes o site BHAZ.

 

O bloco desfilava normalmente, quando, por volta das 20h, o chefe do policiamento no local, capitão Lisandro Sodré, ameaçou suspender a segurança caso houvesse nova manifestação, por parte do bloco, contra Bolsonaro. “Ele [capitão Sodré] subiu no trio e disse que não queria gritos contra o Bolsonaro e nem a favor do Lula, que, na opinião dele é um preso, vagabundo e condenado. Nós questionamos se era um posicionamento oficial da PM, da Prefeitura, da Belotur e não tivemos resposta”, contou ao BHAZ Lilian Macedo, organizadora da atração. “Por fim, ele assumiu que era uma posição dele. Logo após, ele ameaçou largar a segurança do bloco”, complementou.

 

Com informações Brasil 247