Polícia japonesa começa busca por corpos perto da usina de Fukushima - WSCOM

menu

Internacional

14/04/2011


Polícia japonesa começa busca por corpos

Fukushima

Foto: autor desconhecido.

A polícia japonesa começou nesta quinta-feira (14) a buscar vítimas do tsunami do dia 11 de março na área ao redor da central nuclear de Fukushima, no nordeste do Japão, onde os técnicos continuam bombeando toneladas de água contaminada pela radiação.

Mais de 300 policiais, vestidos com uniformes e máscaras protetoras, começaram a varrer um raio de 10 km em torno da usina pela primeira vez desde o terremoto de 9 graus na escala Richter, seguido de um tsunami que devastou a região.

Depois da catástrofe na usina de Fukushima, as autoridades retiraram a população residente em um perímetro de 20 km ao redor de suas instalações devido aos níveis altos de radiação.

No dia 3 de abril, a polícia concentrou suas buscas apenas na faixa situada entre 10 e 20 km da zona de exclusão, explicou um porta-voz da polícia da Província de Fukushima.

– A busca começou às 10h [22h, em Brasília] e terminará ao anoitecer. É difícil estimar a quantidade de pessoas desaparecidas na região. Precisamos encontrá-las o mais rápido possível.

O porta-voz disse ainda que se os corpos emitirem uma taxa alta de radioatividade, terão que ser levados para o necrotério “para fazer a autópsia".

Segundo estimativas da polícia, 13.349 pessoas perderam a vida na tragédia, enquanto 14.867 ainda são consideradas desaparecidas.

Tepco continua bombeando água radioativa

Na central de Fukushima, atingida por uma onda de 14 m de altura no dia 11 de março, que danificou o sistema elétrico e o sistema de resfriamento dos reatores, os funcionários da Tokyo Electric Power (Tepco) continuam bombeando a água radioativa que se infiltrou nas instalações e galerias subterrâneas.

Segundo Takeo Iwamoto, porta-voz da Tepco, até agora já foram retiradas 700 t de água da galeria do reator 2.

– A retirada da água do interior e exterior das instalações durará semanas.

Os técnicos calculam que pelo menos 60 mil toneladas de água radioativa inundaram os subterrâneos, os canais e salas de máquinas de três dos seis reatores da central, dificultando o trabalho dos operários.

Esta delicada tarefa, complicada ainda mais pelos tremores secundários quase cotidianos que ainda abalam a região, é indispensável para que as obras de restabelecimento dos sistemas de resfriamento possam começar.

Japão registra mais de 400 réplicas de terremoto

Desde 11 de março, já foram registradas mais de 400 réplicas do terremoto original acima de 5 graus na escala Richter.
Especialistas temem que as instalações da central, já prejudicadas pelas explosões e incêndios, sofram novos danos em consequência destes novos sismos.

A Tepco planeja remover as barras de combustível usado das piscinas de desativação dos reatores, e para isto vai usar um pequeno helicóptero teleguiado que vai verificar o estado dos núcleos.

Situada na costa do oceano Pacífico, a usina de Fukushima é uma das mais antigas do Japão. Seu primeiro reator está em atividade desde os anos 70.

Notícias relacionadas