Polícia Civil da Paraíba prende estelionatário por crimes no Sul, Sudeste e NE - WSCOM

menu

Policial

18/08/2018


Polícia Civil da Paraíba prende estelionatário por crimes no Sul, Sudeste e NE

Foto: autor desconhecido.

A Polícia Civil da Paraíba, através da 21° Delegacia Seccional em Solânea, prende estelionatário responsável por crimes nos Estados do Sul, Sudeste e Nordeste.

O preso foi identificado como sendo ALLAN JÚNIOR FERNANDES, 28 anos, que no momento da prisão empreendeu fuga no veículo Sandero de cor prata, placa QOF 1528, em alta velocidade e atropelou três pessoas que conduziam motocicletas no centro de Solânea, uma delas socorrida para o Hospital de Trauma em Campina Grande e encontra-se em estado grave, sofrendo fraturas expostas.

ALLAN JÚNIOR se apresentava como empresário do ramo de hortifrutigranjeiros e estaria instalando uma filial em Solânea, inclusive com imóvel locado, equipado e contratos de firmados com parceiros comerciais para passar uma impressão de legalidade.

O estelionatário simulava a contratação de funcionários, chegando a levar 06 pessoas para João Pessoa sob o pretexto de realizar um curso de capacitação e dava uma volta na central de abastecimento de alimentos, Ceasa, forjando um treinamento de vendas e convencia as vítimas a abrirem contas em diversos bancos para ficar de posse dos documentos. De acordo com a polícia, ALLAN utilizava perfis falsos em redes sociais, possuía cartões de crédito em nome de terceiros e emitia cheques roubados.

A Polícia Cívil localizou o imóvel que o investigado estava se escondendo em um distrito da cidade de Bananeiras, verificando que ele saiu do presídio de Parnamirim/RN em maio deste ano, respondendo a cerca de 20 processos criminais em 05 Estados, podendo esse número ainda aumentar em razão da utilização de nome falso por parte do estelionatário.

As fraudes podem chegar ao prejuízo de mais de 50 mil reais e, além de vários crimes de estelionato, ALLAN JÚNIOR responderá pelos crimes de desobediência, resistência e tentativa de homicídio em razão do atropelamento, pois assumiu o risco ao fugir da polícia em alta velocidade em via pública.