Polícia apura ligação de mais um chefe de milícia em morte de Marielle - WSCOM

menu

Brasil

06/03/2019


Polícia apura ligação de mais um chefe de milícia em morte de Marielle

A morte de Marielle Franco e Anderson Gomes está prestes a completar um ano, sem que o inquérito tenha sido concluído

Imagem reprodução/Anderson e Marielle

O policial civil Rafael Luz Souza, conhecido como Pulgão, está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro, pelo possível envolvimento no duplo assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, ocorrido em 14 de março do ano passado.

 

De acordo com um documento judicial obtido pelo UOL, Pulgão é apontado pela Corregedoria da Polícia Civil como chefe de uma milícia que atua nos bairros de Realengo, Bangu e Padre Miguel, na zona oeste do Rio.

 

Ele está preso desde julho do ano passado, quando foi detido com uma metralhadora antiaérea .50, cinco fuzis, munição e dois carros roubados.

 

Segundo destaca a reportagem, a principal linha de investigação da Polícia Civil relaciona o duplo homicídio aos integrantes de uma outra milícia, comandada pelo ex-oficial do Bope Adriano Magalhães da Nóbrega. Ele é tido também como chefe do chamado de “Escritório do Crime”, um grupo de matadores de aluguel.

 

As investigações da polícia apontam que Pulgão é um ex-integrante do Escritório do Crime.

 

A morte de Marielle Franco e Anderson Gomes está prestes a completar um ano, sem que o inquérito tenha sido concluído.