PMJP promove ações para inclusão no mercado de trabalho - WSCOM

menu

Economia & Negócios

30/04/2017


PMJP faz ações para inclusão no mercado

ECONOMIA

Foto: autor desconhecido.

A rotina da casa de Shirley Karla Macedo, moradora do Funcionários II, mudou desde que ela começou a frequentar o curso de Auxiliar de Cozinha, que vem se realizando no Centro de Referência de Inclusão Social e Produtiva Maria de Nazaré – Crispman. “Tenho três filhos, deixo tudo encaminhado e vou para o curso logo cedo. Estou correndo atrás do meu sonho de um dia ter minha lanchonete ou casa de bolo”, diz a dona de casa, que no momento está desempregada.

Esse sonho já foi conquistado por muitas pessoas que participaram de cursos de modalidades diversas ofertados pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), dentro da política de inclusão no mundo do trabalho. Os cursos são destinados, em sua maioria, para pessoas em situação de vulnerabilidade sociais inscritas nos programas sociais, como o Bolsa Família e o de Segurança Alimentar e Nutricional. Muitos são alcançados por jovens que vislumbram o primeiro emprego.

As formações e capacitações profissionais fazem parte das ações da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), executadas pelas diretorias de Economia Solidária Segurança Alimentar e Nutricional (Dessan), da Assistência Social (Das) e de Organização Comunitária e Participação Popular (Dipop).

Shirley participou do curso de confeitaria ofertado o ano passado, também pelo Crispman. “No momento faço bolo personalizado de festa infantil. Isso tem ajudado muito na nossa renda familiar”, admite a aluna. Segundo ela, a proposta é se capacitar mais para adentrar o mercado de trabalho com qualidade e segurança.
“Depois desse curso, acredito que estou apta a colocar meu próprio negócio, então irei correr atrás de outras necessidades. Sei do programa Banco Cidadão, que pode me ajudar na área financeira, quem sabe?”, questiona a jovem.

O estudante Jossyan Bruno, 18 anos, não esconde a expectativa com o curso. Ele vislumbra o primeiro emprego na área de gastronomia. “Estou desempregado no momento. Quando soube do curso, através de uma amiga, vim logo me inscrever. Estou gostando muito, pelo que estamos aprendendo, com certeza a chance de conseguir um emprego nesta área será maior”, calcula Bruno.

Modalidades de cursos – No momento a Prefeitura está ofertando cursos em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), em várias unidades produtivas e sociais distribuídas em bairros da cidade, totalizando cerca de 700 alunos.

Em parceria com o Senac, estão sendo realizados os cursos de Assistente de Cabeleireiro, Auxiliar de Cozinha, Operador de Caixa e Auxiliar Administrativo. Também são realizados cursos integrais de habilidades manuais e artesanato, nas áreas de pintura em tecido, crochê, decompagem, chaveiros, cabeleireiro, pintura em tela, vagonite e barbearia, todos com instrutores da própria instituição ou contratados.

A Unidade de Qualificação Marcenaria –Escola, também está realizando o curso de marcenaria básica para 31 alunos, do sexo masculino e feminino. Durante o curso, os alunos estão tendo aulas teóricas de marcenaria básica e acesso as ferramentas tecnológicas como Autocad e SketchUP, além de oficinas de Legislação Trabalhista, Acidente de Trabalho e o Uso de Equipamentos de Proteção (EPI).

Os cursos de auxiliar de cozinha preparam o aluno para o mercado de trabalho, tanto para instalação do seu próprio negócio como para integrar o sistema trabalhista. De acordo com a coordenadora pedagógica, Ana Régis, o aluno certificado estará habilitado a utilizar técnicas específicas no auxílio ao cozinheiro (a), no preparo de alimentos e organização da cozinha.

“Eles são capacitados, a realizar higienização, cortes, congelamento, armazenamento e conservação adequada de frutas, verduras, carnes, aves, peixes, crustáceos e frutos do mar, ainda estará apto a realizar preparação previa para molhos, massas, cremes e guarnições. Além de zela pela higiene e limpeza da cozinha, observando normas sanitárias e de saúde e segurança do trabalho”, diz a coordenadora. “Os cursos provem os conhecimentos para o mercado de trabalho”, destaca.

Segundo Ana Régis, durante o curso, semanalmente é feito o acompanhamento para ver o andamento da turma, o desempenho dos alunos e, sobretudo a frequência, que é o que garante uma melhor aprendizagem. “Somos muito rigorosos nestes requisitos”, diz.

A coordenadora do Crispman, Socorro Miranda, diz que os cursos da unidade já garantiram o acesso de ex-alunos não só no mercado de trabalho, como na criação do seu próprio negócio.

Ele lembra que apenas no período de 2013 a 2016 a unidade preparou 2.209 pessoas em várias modalidades, desde a construção civil, auxiliar de engenheiro, eletricista predial, informática, pintura automotora, mecânica de motos e carros e telemarketing, e na área de confeitaria, entre outros.

“Sabemos de ex-alunos que montaram seu negócio não só aqui, mas em outras cidades, inclusive no Rio de Janeiro, e estão se dando muito bem. Para nós isso é uma satisfação”, considera a coordenadora. Ela diz que os cursos são bastante procurados por pessoas de vários bairros.

A coordenadora da Unidade de Inclusão Produtiva do Vestuário, Olívia de Paula Lima Dantas, também considera os cursos de grande importância, principalmente para as mulheres. “Isso tem garantido a elevação da auto-estima destas pessoas que nunca pensavam em ter uma pequena renda, viviam totalmente dependente dos companheiros”, diz a coordenadora.

Ela afirma que o maior prazer da equipe é ver essas mulheres alegres por terem uma pequena renda logo que concluem os cursos.” Elas não escondem a satisfação”, garante. As concluintes dos cursos de arte manuais, normalmente são encaminhadas para se integrar individual ou em grupos nas feirinhas de artesanatos promovidas pela PMJP e outros pontos de escoamento da produção.

Locais – Os cursos normalmente são ofertados pelos dez centros de Referência da Cidadania (CRCs), Crispman (Funcionários II); Unidade de Inclusão Social e Produtiva Cozinha-Escola (Jardim Veneza); Unidade de inclusão Produtiva do Vestuário (Alto do Mateus); Unidade de qualificação Marcenaria-Escola (Jardim Cidade Universitária – Bancários), Acessuas Pronatec; Centro Intergeracional Sinhá Bandeira (Expedicionários), o Centro de Formação Frei Virgílio Panzze (Funcionários II) e Cozinhas Comunitárias.

Notícias relacionadas