PF acha US$ 340 mil em carro apreendido com traficante - WSCOM

menu

Policial

20/09/2017


PF acha US$ 340 mil em carro

OPERAÇÃO SPECTRUM

Foto: autor desconhecido.

A Polícia Federal encontrou na tarde desta terça-feira (19) cerca de US$ 340 mil em um carro que foi apreendido na Operação Spectrum, que prendeu o traficante Luiz Carlos da Rocha, conhecido como Cabeça Branca. O veículo estava com a Polícia Federal, em Londrina, no norte do Paraná.

De acordo com o delegado Elvis Secco, que coordenou a prisão, o dinheiro foi descoberto após a análise de mensagens de celulares que pertenciam ao criminoso.

Segundo o delegado, um dia antes de ser preso, Cabeça Branca trocou mensagens de texto a Wilson Roncaratti, apontado como o responsável por fazer pagamentos aos produtores da droga que ele traficava, no Paraguai e de pegar recebimentos em outros países. O traficante teria ordenado ao subordinado que entregasse cerca de R$ 1 milhão, na cidade de Pedro Juan Caballero, na fronteira com o Brasil.

PF acha dinheiro em forro de caminhonete

Na operação, o Roncaratti também foi detido e não conseguiu levar a quantia ao país vizinho. Ele estava com o carro onde o dinheiro foi encontrado. "Analisando as conversas, nós avaliamos que o dinheiro estaria na caminhonete", conta o delegado.

Conforme Secco, o veículo foi praticamente todo desmontado, até que o dinheiro fosse encontrado no forro do carro. "Começamos a mexer no teto e, na última costura, o dinheiro começou a cair", lembra.

O delegado diz que a Justiça havia determinado que a caminhonete fosse destinada ao uso da Polícia Federal. Por esse motivo, o veículo não entrou no leilão que foi realizado nesta terça-feira, que vendeu alguns bens atribuídos ao traficante. "Os capangas dele iam arrematar pelo maior valor", acredita o delegado, caso a caminhonete fosse colocada a venda.

As notas de dólar foram empilhadas em uma mesa. Segundo a cotação atual, os US$ 340 mil representam cerca pouco mais de R$ 1 milhão.

Mais análises

Ainda de acordo com Secco, os peritos da Polícia Federal seguem analisando os materiais apreendidos com Cabeça Branca. Ele conta que desde a prisão de Cabeça Branca, uma série de outros materiais foram apreendidos. Mais de 50 aparelhos celulares seriam usados apenas pelo traficante.
Pelas avaliações iniciais, a polícia já consegue estimar uma movimentação mínima em torno de US$ 150 milhões por ano. "Ele faturava cerca de 30% de todo esse dinheiro", disse o delegado, afirmando que as investigações ainda devem encontrar indícios de mais dinheiro atribuído a ele.

Quem é Cabeça Branca?
Luiz Carlos da Rocha é apontado pela Polícia Federal como um dos maiores traficantes do Brasil. Ele estava foragido da Justiça havia 30 anos. O traficante foi detido em Mato Grosso.

As investigações apontaram que o grupo liderado por Cabeça Branca usava caminhões carregados com soja para transportar as drogas. O dinheiro obtido com a venda da cocaína era lavado em fazendas, onde as drogas eram escondidas. Ainda de acordo com a Polícia Federal, Cabeça Branca mantinha duas casas, uma em Sorriso, no Mato Grosso, e outra em Osasco, na Grande São Paulo, usando identidades falsas.

Ainda de acordo com as investigações, o criminoso usava o Porto de Santos (SP) para exportar drogas para a Europa e os Estados Unidos e tinha mais influência que outros traficantes, como Fernandinho Beira-Mar e Juan Carlos Abadia.

Notícias relacionadas