Petróleo sobe, afetado por temor de escassez no segundo semestre - WSCOM

menu

Economia & Negócios

04/08/2005


Petróleo sobe, afetado por temor

O preço do petróleo fechou em alta nesta quinta-feira, com a contínua preocupação entre os investidores do setor petrolífero de que o mercado de combustível nos EUA venha a sofrer com escassez.

O barril do petróleo cru, negociado na Bolsa Mercantil de Nova York, fechou cotado a US$ 61,38, alta de 0,95%.

A preocupação superou hoje o alívio trazido pelo relatório semanal divulgado ontem pelo Departamento de Energia dos EUA, de que o estoque de petróleo nos EUA cresceu em 200 mil barris na última semana.

O dado causou otimismo nos investidores, uma vez que a expectativa dos analistas era de que tivesse havido uma queda de 1,6 milhão de barris no período.

Já o estoque de gasolina no país caiu em quatro milhões de barris, muito acima do esperado, 900 mil barris.

Antes da divulgação do relatório, o barril da commodity havia cravado novo recorde histórico, chegando a ser negociado a US$ 62,50 durante o dia.

As refinarias americanas têm operado perto do limite de sua capacidade já a quase dois anos e em pouco tempo terão que começar a se preocupar em abastecer os estoques com combustível para calefação, para atravessar o inverno.

No ano passado, o temor de que o combustível para aquecedores pudesse faltar no mercado americano no inverno fez o barril atingir o recorde histórico até outubro, de US$ 55,67.

Os serviços meteorológicos americanos estimam que até 21 tempestades e 11 furacões venham a atingir o país na temporada deste ano. As condições climáticas no país, em particular na região do golfo do México, provocaram o fechamento de diversas refinarias no ano passado em setembro, quando da passagem do furacão Ivan pela região.

Notícias relacionadas