Petrobras avalia parceria e venda de controle de 4 refinarias - WSCOM

menu

Economia & Negócios

19/04/2018


Petrobras avalia parceria e venda de controle de 4 refinarias

Pela proposta em estudo, parceiros ficariam com 60% de participação nos blocos regionais do Nordeste e Sul, mas Petrobras manteria participação de mercado de 75%

Foto: autor desconhecido.

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (19) que avalia reduzir a sua participação no mercado de refino de petróleo, mediante parcerias e venda do controle de 4 refinarias nos blocos regionais do Nordeste e Sul do Brasil, mantendo a operação da estatal no Sudeste, onde está a maioria das unidades de refino da companhia.

Em comunicado ao mercado, a petroleira disse que, pelo modelo, ficaria com 40% de participação em ambos os blocos regiionais (Sul e Nordeste), ao passo que a empresa parceira deteria os outros 60%.

As parcerias incluiriam venda de participação nas refinarias Abreu e Lima e Landulpho Alves, no Nordeste, e Alberto Pasqualini e Presidente Getúlio Vargas, no Sul, além de 12 terminais associados.

A Petrobras afirmou ainda que, nesse modelo, seu parceiro controlaria a operação, enquanto a petroleira seguiria com participação de 75% do mercado brasileiro, uma vez que suas outras nove refinarias e 36 terminais, boa parte no Sudeste, ficariam totalmente sob seu controle.

Para debater a proposta, a Petrobras realiza nesta quinta, no Rio de Janeiro, um seminário com a participação do Ministério de Minas e Energia (MME), Agência Nacional do Petróleo (ANP) e do Instituto Brasileiro do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (IBP).

“Essa discussão parte da premissa de que nós somos uma empresa integrada de óleo e gás, mas que parcerias são fundamentais para agregar valor ao nosso negócio”, declarou o presidente da estatal, Pedro Parente.

Petrobras avalia parceria e venda de controle de 4 refinarias, segundo apresentação divulgada nesta quinta-feira (19) (Foto: Reprodução)Petrobras avalia parceria e venda de controle de 4 refinarias, segundo apresentação divulgada nesta quinta-feira (19) (Foto: Reprodução)

Petrobras avalia parceria e venda de controle de 4 refinarias, segundo apresentação divulgada nesta quinta-feira (19) (Foto: Reprodução)

Segundo a Petrobras, o plano de atração leva em conta que o crescimento futuro da demanda de derivados no Brasil requererá novos investimentos. A proposta está ainda alinhada à nova sistemática de desinvestimentos da empresa, que busca vender ativos para reduzir seu endividamento.

“A produção de derivados é o único elo da cadeia do petróleo onde poucas empresas competem com a Petrobras”, destacou a petroleira na apresentação.

Em comunicado ao mercado, a Petrobras esclareceu que a apresentação tem caráter técnico, sem o objetivo de anunciar uma decisão sobre o assunto, e que o modelo preliminar ainda “não conta com a aprovação formal de seus órgãos de governança (Diretoria Executiva e Conselho de Administração”.

Comperj

Segundo a agência Reuters, a Petrobras negocia com a chinesa CNPC uma parceria que prevê a troca de petróleo da Bacia de Campos por aportes da empresa da China para a conclusão da refinaria no Rio de Janeiro (Comperj), que demandaria ao menos cerca de 3 bilhões de dólares para ser finalizada.

O documento divulgado pela Petrobras não faz referências ao Comperj, empreendimento no Rio de Janeiro que a estatal só vai finalizar se tiver alguma parceria, segundo comunicou anteriormente.

A Petrobras já realizou baixas em valores do Comperj de mais de R$ 6,5 bilhões, desde que se aprofundaram as investigações que apontaram superfaturamento de contratos, cujos valores eram utilizados para pagamentos ilegais a políticos e ex-executivos da estatal.

G1

Notícias relacionadas