Pesquisa do Procon-JP revela que combustível pode ser encontrado por R$ 1,98 - WSCOM

menu

Economia & Negócios

11/08/2005


Pesquisa do Procon-JP revela que

Pesquisa realizada pelo Procon na cidade de João Pessoa identifica uma redução ainda maior no preço do combustível. O órgão verificou uma variação na ordem de 17,68% em alguns postos na capital, onde o litro da gasolina pode ser encontrado por até R$ 1.98. “Sem dúvida alguma, é um ganho tremendo para o consumidor, que poderá economizar até R$ 0,35 por litro consumido”, afirma o Coordenador de Pesquisa, Helton Renê Nunes Holanda.

“Para se ter uma idéia, o consumidor que encher o tanque de 50 litros de gasolina no valor menor, por exemplo, gasta em média R$ 99,00 enquanto que essa mesma gasolina, se abastecida em um posto de maior valor, pode chegar a R$ 116,5, perfazendo uma diferença de aproximadamente R$ 17,50”, lembra.

Postos como os da Epitácio Pessoa, continuam com a política de redução no preço da gasolina, ao passo em que outros estão aderindo cada vez mais a essa concorrência, em diversos bairros da capital, a exemplo de Mangabeira, Expedicionários, Bessa, Torre e Tambauzinho. “Em pensar que cerca de 33 postos no universo de 115 cadastrados estão aplicando esse tipo de preço, nos deixa muito satisfeito em poder informar adequadamente ao consumidor onde encontrar uma gasolina de qualidade com o menor preço. Dessa vez, o posto EXPRESSÃO foi o campeão nessa corrida pelo menor preço, sua gasolina é vendida por R$ 1,98, aceitando inclusive cheque para 40 dias. Essa variação é fruto da concorrência, e quando ela ocorre, quem ganha é o consumidor.”

O consumidor, portanto, deve pesquisar muito antes de abastecer o seu carro, de acordo com Renê, que ainda afirma que fará novas pesquisas no final dessa semana, a fim de informar aos consumidores sobre os melhores preços na capital, e que o consumidor pode pegar a sua cópia no órgão ou ainda no site da prefeitura.

Menos postos estão vendendo à prazo

Embora a pesquisa tenha mostrado uma forte redução no preço final da gasolina, por exemplo, muitos postos estão suspendendo às vendas no cartão e no cheque. “Não podemos obrigar o comerciante a receber cheques ou mesmo cartões de crédito, contudo é importante frisar que a venda com cartão de crédito para o vencimento é considerada à vista, então não há como o comerciante estipular um preço à vista para pagamento em dinheiro e outro para o cartão, entretanto pode, como falamos anteriormente, não aceitar o pagamento com os cartões de crédito, para isso deverá informar prévia e ostensivamente ao consumidor que seu estabelecimento não está recebendo pagamento com cartão em hipótese alguma, e se caso isso venha a ocorrer, deverá o consumidor entrar em contato com os órgãos de defesa do consumidor e denunciar para que sejam tomadas as medidas cabíveis” alerta Helton.

O melhor preço é a melhor arma

“Ainda continua valendo o que já dissemos que o melhor para o consumidor é o preço e não o prazo. Tem postos que oferecem inúmeras “vantagens”, como sorteio de brindes, jornal grátis, refrigerante grátis etc. Apesar de ser uma forma saudável de chamar a atenção do consumidor, isso tudo se torna inócuo quando se trata de preço convidativo. O melhor preço ainda é a melhor arma” afirma Renê.

O procon continuará com a pesquisa semanalemte, em dias alternados, com o intuito de informar os melhores preços à sociedade consumerista, cabendo a cada um, calcular o custo benefício na aquisição do combustível.

Notícias relacionadas