PECs do nepotismo e voto aberto devem ser votados próxima semana na AL - WSCOM

menu

Política

01/06/2006


PECs do nepotismo e voto

O deputado estadual Ruy Carneiro (PSDB) disse na manhã desta quinta, 01, que os projetos de emenda contitucional do nepotismo e do voto aberto devem ser votados semana que vem. Para que os projetos sejam aprovados são necessários 22 votos, dos 36 da Assembléia Legislativa (AL). Entretanto, alguns deputados da base governista, maioria na Casa, já se pronunciaram contra a emenda.

“Finalmente prevaleceu o bom senso!”, desabafou o deputado, explicando que foi aceito o parecer dado pela Comissão Especial e agora só falta a votação em plenário.

“A votação será aberta e nominal como manda o regimento da Casa. Estamos procurando o presidente Rômulo Gouveia (PSDB) para tentar que a votação, tanto do voto aberto quanto do nepotismo, seja consenso”, torce.

O deputado não soube precisar quantos votos já estão garantidos para o projeto. “Isso é muito subjetivo, porque às vezes o deputado diz que vota, mas chega na hora e não vota”, ensina. “Nós estamos apelando para que consigamos aprovar independente de saldo. Se nós não conseguirmos que seja consenso aí sim vai ser no voto”, informa Carneiro.

A expectativa do deputado é que as PECs entrem na Ordem do Dia da próxima semana, para isso também ele está agendando a reunião com o presidente da Mesa, que deve acontecer na segunda ou terça-feira.

Divergências – Alguns deputados da base governista têm mostrado divergências para a aprovação da PEC do nepotismo.

Primeiro a sessão especial, as vésperas da semana santa, onde seria discutido o projeto, sofreu esvaziamento por parte dos deputados. Dom Aldo Pagotto, presente a sessão, chegou a ironizar alegando que os deputados faltaram porque tinham ido fazer um ato de contrição.

Fausto Oliveira (PRB) e Pedro Medeiros (PSDB) se colocaram frontalmente contra o projeto, alegando que Ruy Carneiro está apenas com interesses eleitorais, às vésperas da eleição e que é melhor esperar um outro projeto que corre na Câmara Federal e que trata do mesmo tema.

Na terça, 30, Pedro Medeiros chegou a apresentar um requerimento pedindo a dissolução da Comissão Especial, onde estava o projeto, alegando que ela não obedecia ao regimento interno. A dissolução estava sendo pedida justo no momento que seria apreciado o projeto.

Ruy Carneiro espera que agora tenha chegado a hora de ver o projeto na mesa. O deputado acredita que os deputados tenderão a votar a favor, se não por convicção, pelo menos para não ir de encontro a opinião pública.