Paysandu bate Atlético-PR e acaba com jejuns - WSCOM

menu

Mais Esporte

14/08/2005


Paysandu bate Atlético-PR e acaba

O Paysandu, enfim, voltou a sentir o sabor da vitória. Após 10 jogos sem triunfar no Campeonato Brasileiro, a equipe paraense superou o Atlético-PR por 2 a 1 neste sábado, de virada, em partida realizada no estádio Mangueirão, em Belém, pela 20ª rodada.

O fim do jejum deveu-se principalmente ao gol de Vânderson, que também superou longa marca para dar o triunfo aos anfitriões. Afinal, o autor do segundo gol do Paysandu, anotado aos 32min da etapa final, não balançava redes adversárias havia cinco anos, desde maio de 2000.

O resultado ainda representou a queda de outras duas marcas negativas do time paraense. Na mais significante, o Paysandu voltou a presentear sua torcida com uma vitória no Mangueirão depois de cinco derrotas consecutivas. O último triunfo havia ocorrido dia 26 de junho, sobre o Palmeiras, por 2 a 1.

Além disso, em dez confrontos com o Atlético-PR por Brasileiros, a equipe da Curuzu saiu de campo vitoriosa pela primeira vez. Até então, os paranaenses lideravam o duelo com seis resultados positivos e três empates.

No time paranaense, a derrota representa mais um balde de água fria na reação mostrada após a Copa Libertadores. Neste período, quando conseguiu se afastar da zona de rebaixamento, o Atlético-PR ainda não havia sofrido duas derrotas seguidas.

Antes de tropeçar neste sábado e na quarta-feira, diante do São Caetano, a equipe chegou a acumular cinco vitórias, um empate e somente uma derrota. Agora, permanece com 22 pontos na 15ª colocação e pode perder três posições na tabela com a conclusão da rodada neste domingo.

Já o Paysandu, se pôde voltar a comemorar um triunfo depois de longa “seca”, ainda se preocupa com sua situação na classificação. Afinal, com 16 pontos ganhos em 20 jogos, a equipe paraense está em penúltimo lugar e retorna à lanterna caso o Atlético-MG supere o Vasco no domingo.

Na próxima rodada, que encerra o primeiro turno do campeonato, o Atlético-PR busca a reabilitação contra o São Paulo na Arena da Baixada, em Curitiba, quando tentará vingar a derrota na final da Copa Libertadores. O Paysandu, por sua vez, visita o Flamengo na Ilha do Governador, no estádio Luso-Brasileiro.

O jogo

A partida no Mangueirão começou muito movimentada, com os anfitriões mostrando maior ímpeto ofensivo. No entanto, o Atlético-PR, como visitante ingrato, conseguiu abrir o placar. Aos 11min, o jovem Schumaker aproveitou bobeira de defesa paraense dentro da área, cortou o goleiro Alexandre Fávaro e tocou para as redes.

A torcida bicolor, que sofreu um susto com o gol, voltou a cantar feliz pouco depois, graças ao empate que saiu aos 16min. Após cruzamento da direita, o zagueiro João Carlos subiu junto com a zaga atleticana e cabeceou no canto direito de Diego para deixar tudo igual, marcando seu segundo gol no Brasileiro.

Enquanto o Paysandu tentou virar o placar apostando principalmente nas jogadas aéreas, o time paranaense preferiu explorar as jogadas rápidas pelo meio, com Fabrício acionando os alas Jancarlos e Marin. Schumaker se movimentou bastante e também deu trabalho à zaga adversária.

Apesar de jogar em casa, a equipe paraense concentrou suas forças nos contra-ataques, tendo como referência o atacante Robson, artilheiro do time no Brasileiro com 11 gols. Já o Atlético-PR, diante dos três zagueiros escalados por Gilson Kleina, teve dificuldades para ameaçar Fávaro.

Após o intervalo, o Paysandu retornou com maior disposição ofensiva para tentar acabar com o longo jejum de vitórias no Brasileiro. Contudo, a forte marcação atleticana resultava em poucos espaços aos anfitriões, além de muitos cartões amarelos.

Diante da nova postura paraense, o Atlético-PR passou a usar a arma do adversário na etapa inicial: os contra-ataques. Lima e Schumaker se movimentaram constantemente para tentar escapar dos três zagueiros do Paysandu, mas não tiveram sucesso.

Pelo Paysandu, Luis Augusto foi o principal responsável pela armação das jogadas de ataque, que terminaram quase sempre na procura por Robson. O artilheiro da equipe, porém, teve raros espaços entre os zagueiros paranaenses e esteve apagado em campo.

Na melhor chance do atacante, ele foi lançado em velocidade e conseguiu tirar o goleiro Alexandre Fávaro da jogada, mas um defensor do Atlético-PR chegou a tempo para evitar o segundo gol dos anfitriões.

Mas se Robson não estufou as redes, ajudou Vânderson a fazê-lo. Aos 32min, o centroavante ajeitou a bola para o volante na entrada da área e ele acertou um forte chute, no canto esquerdo de Diego, para virar a partida e decretar o placar final.

PAYSANDU

Alexandre Fávaro; João Carlos, Felipe Saad e Marquinhos; Marco Aurélio, Alemão (Marabá), Vânderson, Rodrigo (Balão) e Cléber; Luís Augusto (Zé Augusto) e Robson

Técnico: Gilson Kleina

ATLÉTICO-PR

Diego; Jancarlos, Danilo, Paulo André e Marín; Marcus Vinícius (Cléberson)(Ticão), Alan Bahia, André Rocha (Douglas) e Fabrício; Schumaker e Lima

Técnico: Antonio Lopes

Local: estádio Mangueirão, em Belém (PA)

Árbitro: Silvia Regina de Oliveira (Fifa-SP)

Auxiliares: Ana Paula da S. Oliveira (Fifa-SP) e Maria Eliza C. Barbosa (SP)

Público: 8.230 pessoas

Renda: R$ 64.525,00

Cartões amarelos: Marcus Vinicius (AT), Alemão (PA), Schumaker (AT), Marquinhos (PA), Felipe Saad (PA), Cléberson (AT) e Fabrício (AT)

Cartão vermelho: Lima (AT)

Gols: Schumaker, aos 11min, e João Carlos, aos 16min do primeiro tempo; Vânderson, aos 32min do segundo tempo

Notícias relacionadas