Parreira admite mudar time e escalar reservas contra o Japão - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

18/06/2006


Parreira admite mudar time e

Depois da vitória sobre a Austrália por 2 a 0, neste domingo, em Munique, que valeu ao Brasil a classificação antecipada às oitavas-de-final da Copa do Mundo da Alemanha, o técnico Carlos Alberto Parreira indicou que pode entrar com um time diferente no jogo contra o Japão, nesta quinta-feira.

Entretanto, o nome mais citado para perder o lugar no time titular deve seguir entre os onze: Ronaldo. “A situação dele é diferente, ele precisa de ritmo de jogo”, justificou Parreira.

O técnico tem dois motivos diferentes para mexer na escalação que entrou em campo nos dois primeiros jogos da Copa do Mundo, diante de Croácia e Austrália: os cartões amarelos e o desgaste físico dos jogadores.

Caso algum jogador receba o segundo amarelo no confronto com o Japão, será suspenso das oitavas-de-final. No entanto, aqueles que chegarem às oitavas com apenas um cartão amarelo terão sua contabilidade zerada pela Fifa.

“Vamos ver quem tem cartão, vamos ver isso tudo com calma para pensar direito no que fazer”, acrescentou Parreira, que tem Ronaldo, Émerson, Cafu e Robinho pendurados com um cartão amarelo.

Além disso, Parreira pode resolver poupar algum atleta que se sinta mais cansado depois dos dois primeiros jogos da seleção, que teve adversários fisicamente fortes pela frente.

“Agora, o departamento médico vai se pronunciar, vamos voltar para a concentração para fazer o nosso trabalho, ver como os jogadores se recuperam e, dependendo disso, vamos pensar em mexer, poupar algum jogador, deixando ele fresquinho para as oitavas”, admitiu o treinador.

CARTÕES CONTRA AUSTRÁLIA

Cafu fez falta e levou amarelo

2 min depois, foi a vez de Ronaldo

TUDO SOBRE A PARTIDARobinho, que entrou nos dois jogos da Copa no lugar de Ronaldo durante o segundo tempo, apóia a idéia de mudar o time. “Se ele (Parreira) quiser colocar os reservas, a gente agradece”, disse, em tom de brincadeira, o jogador do Real Madrid.

Com o discurso pregado ao término do jogo, Parreira deixou em aberto a possibilidade de entrar em campo pela primeira vez sem o seu “quadrado mágico” original. Adriano deixou o campo com sinais de cansaço, e Ronaldo é um dos pendurados com amarelo.

Mas o treinador bateu na tecla de que Ronaldo é um caso à parte e deve jogar. Na sua visão, o atacante do Real Madrid precisa entrar em campo o máximo possível para adquirir ritmo de jogo depois de ficar parado por dois meses antes da Copa do Mundo. “O Ronaldo teve uma melhora sensível, mas é claro que ele precisa jogar mais vezes. Aos pouquinhos vai retomando o ritmo. Degrau por degrau”.

O atacante, por sua vez, deixou calro que o que quer é jogar, mas, político, respeita a decisão que o técnico tomar. “Eu gosto de estar sempre jogando, mas o que for decidido, está decidido”, disse. “Me senti bem melhor (no jogo contra a Austrália), acho que é outra coisa jogar sem nenhum tipo de preocupação, e hoje foi assim”, celebrou o atacante, que deu o passe para o gol de Adriano.

Notícias relacionadas