Paraibano revelação de Malhação quebra tabu: "Ando muito de salto" - WSCOM

menu

Entretenimento

19/01/2019


Paraibano revelação de Malhação quebra tabu: “Ando muito de salto”

Pedro Vinícius (Foto: Helena Cooper)

Pedro Vinicius, 20 anos, é um dos destaques de Malhação – Vidas Brasileiras, em que interpreta o personagem Michael. Natural de João Pessoa, na Paraíba, o ator abraçou a oportunidade de fazer a trama teen e se mudou para o Rio de Janeiro.

Interpretando um personagem gay na ficção, o ator fala como contou à família que é homossexual. “Decidi que não teria que fazer uma cerimônia para falar o que sou para a minha mãe e para a minha família. Teve um dia, em 2015, que minha mãe perguntou se eu já tinha ficado com meninas. Disse que sim. Depois, ela perguntou se eu já tinha ficado com meninos. Eu respondi que sim, também. Foi dessa forma que expliquei para ela que ficava com quem mais me atraísse.”

Sucesso com o personagem, Pedro admite se sentir desafiado para os futuros papéis. “Por ser um personagem realmente muito próximo de mim, confesso que já comecei a me questionar sobre os meus próximos passos.”

Pedro Vinícius (Foto: Helena Cooper)

QUEM: Malhação é seu primeiro trabalho na TV. Quando veio a chance de participar?
PEDRO VINÍCIUS: 
O processo de seleção começou entre agosto e setembro de 2017 e fui selecionada para o workshop. Foi o meu primeiro teste. Fiz teste com o Daniel Rangel, Rayssa Bratilieri… Muita gente selecionada para elenco veio a partir desta semana [de workshops de seleção]. Aí, fiquei entre 40 e, depois, entre os 17 escolhidos para o elenco definitivo.

Como foi receber a notícia que estava aprovado logo em seu primeiro teste?
Foi uma grande surpresa. Sempre quis ser ator. Não sou carioca e, depois que concluí o Ensino Médio, queria vir para o Rio estudar artes cênicas. Sou de João Pessoa, na Paraíba, e sabia que as oportunidades aqui seriam maiores.

Pedro Vinicius caracaterizado como Michael em Malhação (Foto: João Miguel Junior/TV Globo)

A história do seu personagem abordou muito a questão da sexualidade e preconceito. Qual a importância de Malhação levantar essas questões?
A princípio, o Michael teria problemas familiares, mas a história foi mudando. As questões de sexualidade e gênero são temas que passaram a ser discutidos mais [do que estava previsto inicialmente]. Nada é preto ou branco, isso ou aquilo. Há um caminho do meio. A história do Michael trata assuntos muito importantes, como o fato de ser gay afeminado e não esconder isso.

Você se identificou com alguma das cenas? Já presenciou alguma situação parecida?
Sim, a cena de bullying no banheiro é muito factual. Quando eu estava no Ensino Fundamental, eu não usava o banheiro porque tinha medo de ficar sozinho com os meninos. Sofri muito bullying do 3º ao 6º ano do Fundamental. Fora isso, acho que a relação dele com a mãe foi abordada de um jeito interessante. É muito importante esta ligação familiar.

Como é a relação que você tem com a sua família?
Na minha família, somos eu, minha mãe, minha irmã mais velha e meu cachoro. A nossa família é formada por nós quatro e ponto. Sou abençoado por ter uma família que me abraça e me apoia.

Pedro Vinícius (Foto: Helena Cooper)

E sempre foi assim? Sua mãe era aberta ao diálogo?
Decidi que não teria que fazer uma cerimônia para falar o que sou para a minha mãe e para a minha família. Teve um dia, em 2015, que minha mãe perguntou se eu já tinha ficado com meninas. Disse que sim. Depois, ela perguntou se eu já tinha ficado com meninos. Eu respondi que sim, também. Foi dessa forma que expliquei para ela que ficava com quem mais me atraísse.

Foi tranquila essa conversa?
Minha mãe tinha um medo grande. Não era um medo de mim, mas medo das pessoas, de como me tratariam. Ela achava que eu falava alto, gesticulava muito e que isso poderia me prejudicar, mas sei que não vou agradar o mundo inteiro.

Em Malhação, seu personagem também defende o que quer, seja na maneira de falar ou no modo de se vestir. E teve uma cena em que apareceu até de salto!
Já fui para uma festa na escola de salto, acredita? Adentrei muito no mundo drag queen. Usar salto e usar “roupa de mulher” — coloque esse roupa de mulher entre aspas! — não significa que você quer ser mulher.

Quando você passou a usar roupas consideradas femininas?
Uso desde 2015. Foi quando passei a usar saia e me maquiar.

Pedro Vinícius (Foto: Helena Cooper)

Ao te ver andando de salto, fiquei impressionada com a sua destreza. Sente-se confortável ou levou um tempo para pegar a prática?
Olha, minissaia não me deixa confortável, mas salto eu uso mesmo. Ando muito de salto, já fui para os Estúdios Globo de salto e não era para cena do Michael.

Maicon se tornou um papel de destaque nesta temporada. Atores que interpretaram papéis emblemáticos logo no início da carreira já reclamaram por ficar marcados. Preocupa-se com rótulos e próximos personagens?
Por ser um personagem realmente muito próximo de mim, confesso que já comecei a me questionar sobre os meus próximos passos. Mas é importante deixar claro que o Michael é um personagem, fiz um trabalho de composição. Sei que o Michael é próximo da minha realidade, dos meus amigos e amigas. Não nego isso, mas dar vida a ele tem sua dificuldade. É desafiador, assim como espero que os próximos também sejam.

Quais seus sonhos e objetivos na carreira? Como se imagina em dez anos?
Quero ter ajudado a construir um cenário novo. Tanto artístico, como social. Arte é política.
Arte é um meio influenciador. Sempre escutei que só conseguiria seguir a carreira se viesse para o Rio ou São Paulo. Acredito no potencial da minha região. Infelizmente, o Nordeste ainda não tem a visibilidade que merece. Quero dar visibilidade à arte nordestina.

Pedro Vinícius (Foto: Helena Cooper)
QUEM