Para alegria dos fãs, Playboy deve lançar loja no Brasil em 2006 - WSCOM

menu

Entretenimento

09/08/2005


Para alegria dos fãs, Playboy

O tradicional coelhinho da Playboy estará mais perto dos brasileiros a partir do ano que vem, quando a revista masculina mais famosa do mundo deve inaugurar sua primeira loja no país, disse na segunda-feira a presidente-executiva da Playboy Enterprise, Christie Hefner.

Será a quarta loja da marca no mundo. A cidade que sediará o empreendimento ainda não foi definida, mas São Paulo e Rio de Janeiro estão na disputa pela vaga. As outras lojas da Playboy estão na Austrália, no Japão e, nos Estados Unidos, na cidade de Las Vegas.

Segundo Hefner, o Brasil é o segundo mercado da em vendagem da revista, perdendo apenas para os Estados Unidos.

Além da loja — que vai oferecer de lembrancinhas a roupas íntimas, passando por DVDs e games eróticos –, a marca pretende apelar para o conteúdo wireless a fim de aumentar o rol de admiradores.

“A Playboy pretende ser a (marca) pioneira no mundo através do conteúdo wireless e está fazendo acordos com provedores de distribuição de conteúdo nos 17 países onde ela atua”, disse a presidente do grupo. “No Brasil também trabalhamos para introduzir a Playboy no mundo wireless”, acrescentou.

As mídias de TV, Internet e wireless representam 50 por cento do faturamento total da empresa, enquanto as publicações são responsáveis por 30 por cento do faturamento.

A Playboy é listada na bolsa de Nova York e, de acordo com Hefner, a empresa tem uma receita anual de 400 milhões de dólares. As vendas nos 17 países onde o coelhinho atua somam 1 bilhão de dólares.

“MUSA DO MENSALÃO” NÃO RECEBEU CONVITE

Roberto Civita, presidente do Conselho de Administração do Grupo Abril, empresa que tem a licença de distribuir a Playboy no país, disse que a edição comemorativa do 30o. aniversário da Playboy brasileira terá uma tiragem de 700 mil exemplares. Na capa da revista, que chega às bancas na terça-feira, estará a ex-BBB Grazielle Massafera.

Apesar de ser responsável por uma tiragem recorde em 2005, Grazi está bem longe das principais musas da Playboy brasileira: a “Feiticeira” Joana Prado, a “Tiazinha” Suzana Alves e a apresentadora de TV Adriane Galisteu.

Só para se ter uma idéia, a edição de novembro de 199 com Joana Prado na capa vendeu 1,24 milhão de exemplares.

Civita negou ainda o interesse da revista em convidar a “musa do mensalão” Fernanda Karina Somaggio, ex-secretária do empresário Marcos Valério de Souza, acusado de ser o operador de um esquema no qual deputados federais ganhavam dinheiro para votar de acordo com a orientação do governo federal.

Fernanda vem afirmado estar em negociação com a revista.

“Não fizemos nenhuma proposta. A Karina está querendo se promover, não é a primeira vez que isso acontece com a Playboy.”

Notícias relacionadas