Palocci recebia R$ 50 mil de propina, diz Buratti; ministro nega - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

19/08/2005


Palocci recebia R$ 50 mil

Através de nota oficial, o Ministro da Fazenda, Antonio Palocci, negou com veemência a veracidade da informação. Palocci afirma que recebeu contribuições em sua última campanha para a prefeitura de Ribeirão Preto da empresa Leão&Leão e de outras empresas, mas que o fato está devidamente registrado na prestação de contas levada ao Tribunal Regional Eleitoral.

O promotor Sebastião Silveira explicou hoje que a propina ia diretamente para o diretório do PT sob cuidados do ex-tesoureiro Delúbio Soares a pedido de Antônio Palocci. A propina teria o objetivo de manter o contrato de coleta de lixo e limpeza pública com a prefeitura.

Segundo Rogério Buratti, o ex-secretário de fazenda de Ribeirão Preto Ralf Barqueth era o encarregado de recolher em dinheiro vivo a quantia mensalmente na empreiteira e entregar em SP para Delúbio Soares. O dinheiro vinha de contas nos bancos Bradesco e Santander.

O esquema começou durante a segunda gestão de Palocci em Ribeirão Preto e continuou na gestão de Gilberto Maggioni. Palocci foi eleito prefeito de Ribeirão Preto pela segunda vez em 2000, cargo a que renunciou em 2002 para assumir o Ministério da Fazenda.

Rogério Buratti está sob investigação por ter sido acusado de pedir propina à empresa GTech, além de supostamente estar envolvido com fraudes em licitações da prefeitura de Riberão Preto durante a gestão de Palocci. Ontem o Ministério Público Estadual ofereceu o benefício da delação premiada a Buratti. Com isso, ele teria a redução da pena em troca de informações. O advogado foi preso na quarta-feira.

Notícias relacionadas