Palmeiras sofre primeiro revés com Leão - WSCOM

menu

Mais Esporte

27/08/2005


Palmeiras sofre primeiro revés com

Durou 11 partidas a invencibilidade de Emerson Leão como técnico do Palmeiras. Neste sábado, jogando no estádio Serejão, o time paulista foi superado pelo Brasiliense por 3 a 2 e interrompeu sua ascensão no Campeonato Brasileiro.

“Infelizmente, nada funcionou direito. O individual não foi bem, o coletivo não foi bem. Foi uma partida aquém das nossas possibilidades e precisamos reconhecer quando não rendemos nem o mínimo esperado”, admitiu o técnico Emerson Leão, do Palmeiras.

Este é o primeiro revés do Palmeiras desde o dia 17 de julho, quando o time alviverde caiu diante do Fortaleza (2 a 1) em pleno Parque Antarctica e ocasionou a demissão do treinador Paulo Bonamigo.

De quebra, a vitória do Brasiliense neste sábado acaba com um pequeno tabu. O time do Distrito Federal nunca havia conseguido uma vitória sobre o Palmeiras. Nos quatro confrontos anteriores, os paulistas obtiveram três triunfos e um empate.

O grande destaque do Brasiliense foi o centroavante Igor, que balançou as redes duas vezes no primeiro tempo. “Eu nem sabia se ia jogar. Só ganhei uma oportunidade porque o Oséas, que é titular, sentiu dores musculares. Mas eu pude entrar e acho que ajudei minha equipe”, contou o camisa 9.

Graças aos gols de Igor, o Brasiliense conquistou sua segunda vitória nas últimas dez partidas. O placar positivo levou o time do Distrito Federal a 28 pontos e à 17ª colocação do Campeonato Brasileiro.

O Palmeiras, em contrapartida, perde a oportunidade de encostar nos líderes do Brasileirão 2005. O time paulista estaciona nos 35 pontos e fica com a oitava colocação.

Agora, as duas equipes terão muito tempo para descansar. O Brasiliense só volta a campo no dia 7 de setembro, quarta-feira, quando recebe o Atlético-MG no estádio Serejão. No dia seguinte, às 20h30, o Palmeiras encara o Coritiba no estádio Parque Antarctica.

O jogo

Sem o atacante Warley, lesionado, o treinador Emerson Leão optou por armar o Palmeiras com Marcinho, Juninho Paulista, Pedrinho e Gioino. Entretanto, esta opção deixou a defesa paulista exposta aos avanços do Brasiliense, sobretudo pelas laterais.

Desde o início, o time do Distrito Federal teve amplo domínio das ações no meio-campo. Prova disso é que o Brasiliense abriu o placar logo aos 4min. Igor recebeu a bola na ponta esquerda, driblou Daniel para o meio, invadiu a área e chutou no ângulo direito de Sérgio.

A superioridade do Brasiliense não diminuiu nem mesmo quando o meia Iranildo sentiu uma lesão na virilha e foi substituído por Tiano. A alteração deu mais liberdade a Alex Oliveira, que marcou o segundo gol. Aos 29min, o camisa 7 foi lançado na esquerda e chutou cruzado, no canto esquerdo baixo de Sérgio, que não conseguiu alcançar.

Desarrumado, o Palmeiras ainda chegou a ameaçar uma reação. O time paulista chegou ao gol aos 41min, em uma falta cobrada por Correa. O camisa 2 levantou da direita e encontrou o zagueiro Daniel livre na área. O zagueiro tocou de cabeça e venceu Eduardo, que não se mexeu.

No entanto, o Brasiliense sepultou a reação do Palmeiras aos 46min. Em rápido contra-golpe, Igor ficou com a bola na esquerda, carregou em diagonal e chutou colocado para marcar o terceiro gol dos donos da casa.

“Estávamos melhorando e tínhamos conseguido acertar a marcação, mas eles acertaram um contra-ataque e acabaram com tudo isso. Tomamos um gol em uma bola que estava no nosso domínio. Aí fica complicado”, ponderou o zagueiro Daniel, autor do gol do Palmeiras.

Depois do intervalo, porém, o Palmeiras se tornou ainda mais suscetível aos contra-ataques do Brasiliense. Mais equilibrado em campo, o time da casa criou as melhores oportunidades para mudar o placar do jogo.

A situação da partida, que já era favorável ao Brasiliense, se tornou ainda melhor para os donos da casa a partir dos 20 minutos. O técnico Emerson Leão trocou o meia Pedrinho pelo volante Alceu e recuou o Palmeiras. A partir daí, o time paulista apenas observou o toque de bola da equipe dirigida por Joel Santana.

O único bom momento para o Palmeiras aconteceu aos 45min. Gioino cruzou da direita para Washington. A bola passou por Deda e bateu no braço de Róbston, que estava no segundo pau. Pênalti que Marcinho cobrou com categoria, no canto esquerdo de Eduardo, para diminuir a vantagem dos donos da casa.

BRASILIENSE

Eduardo; Dida (Róbston), Régis, André Turatto e Mário Careca; Deda, Pituca, Vampeta e Iranildo (Tiano) (Joãozinho); Alex Oliveira e Igor

Técnico: Joel Santana

PALMEIRAS

Sérgio, Correa (Baiano), Daniel, Gamarra e Michael, Marcinho Guerreiro, Roger, Juninho Paulista (Washington) e Marcinho, Pedrinho (Alceu) e Gioino

Técnico: Emerson Leão

Local: Estádio Serejão, em Taguatinga (DF)

Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)

Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Gilson Bento Coutinho (PR)

Cartões amarelos: Dida (B), Marcinho Guerreiro (P), Márcio Careca (B), Pituca (B), André Turatto (B), Marcinho (P), Roger (P)

Gols: Igor, aos 4min, Alex Oliveira, aos 29min, Daniel, aos 41min e Igor, aos 46min do primeiro tempo; Marcinho, aos 45min do segundo tempo

Notícias relacionadas