Padre diz que entrada de armas e celulares nos presídios é facilitada - WSCOM

menu

Policial

21/10/2005


Padre diz que entrada de

O padre João Bosco Francisco do Nascimento, coordenador Estadual da Pastoral Carcerária, que atuou durante um ano como capelão na penitenciária, disse hoje a redação do WSCOM Online que acredita existir “uma grande facilitação” para a entrada de armas e celulares no presídio. “Não acredito que estas armas entrem com visitantes, pois a revista é muito severa”, declarou padre Bosco.

Ele revelou que, na maioria dos flagrantes dados as visitas são relativos a drogas – nunca a celulares e armamentos. O padre defende que o Estado encare de frente a questão das armas e telefones dentro da penitenciária. “Se estas armas e celulares não entram com visitantes, como elas entram?” , questiona.

Durante a operação pente fino, realizada na quarta-feira 19, foram localizadas facas e aparelhos celulares. Hoje, porém, os detentos fizeram ligação com rádio local, onde denunciam caos dentro da penitenciária.

Lotação – Padre Bosco acredita que o principal motivo para estas rebeliões está na lotação do presídio, que hoje abriga cerca de 1000 detentos e tem capacidade para até 400 presos.

“Nada vai adiantar transferir 18 ou 20 pessoas como aconteceu quando descobriram o túnel, para desafogar a penitenciária e melhorar a situação, no mínimo 200 detentos teriam que sair de lá”, acredita.

Padre Bosco argumenta que se o Sistema Penitenciário não mudar as rebeliões vão continuar acontecendo de ponta a ponta da Paraíba e, com isto, vão acontecer mais assassinatos dentro dos presídios.

Dois dias depois da “Operação Pente Fino”, na penitenciária do Roger, os detentos já usam telefone celular. Na manhã de hoje presos ligaram para o programa de rádio “Tribuna do Povo” e reivindicaram a volta das visitas íntimas, suspensas desde o fim da rebelião.

Notícias relacionadas