Operação Confraria: delegado da PF revela contradição em depoimentos e admite ac - WSCOM

menu

Policial

01/08/2005


Operação Confraria: delegado da PF

O Delegado Regional Executivo da Polícia Federal, Gustavo Gominho, informou com exclusividade ao Portal WSCOM Online que poderá reinquirir todos os suspeitos de envolvimento na Operação Confraria para uma acareação, argumentando que alguns depoimentos divergem dos demais. Ele disse ainda que a Polícia Federal suspeita que o roubo dos computadores na Seplan tenha a ver com o caso.

“Gostaria de deixar claro que pedimos à Justiça Federal da 5a Região a busca e apreensão em vários órgãos públicos, um dos quais a Secretaria de Planejamento. A Justiça Federal não concedeu esse mandado, sob o argumento de que a Polícia Federal poderia obter todo esse material mediante requisição através de ofício. O sumiço desses computadores desperta em nós a suspeita de que haja uma ligação com a Operação Confraria. Nossa suspeita é no sentido de queima de arquivo, limpando os arquivos do computador ou mesmo substituindo o HD”, disse.

Ele explicou que o desaparecimento do material da Seplan é uma investigação de competência da Secretaria Estadual de Segurança Pública, então a PF não dispõe de informações constantes sobre o andamento dessas investigações. “Mas é óbvio que, como estamos vislumbrando um elo à Operação, estamos atentos a isso e desenvolvendo as nossas próprias investigações”, complementou.

Gominho revelou ainda que peritos e engenheiros da Polícia Federal foram convocados para analisar minuciosamente as obras denunciadas pelo Tribunal de Contas da União e posteriormente pela Controladoria Geral da União. Esses peritos terão um prazo de dois a três meses para avaliar as obras, ao mesmo tempo em que a Policia analisa os documentos apreendidos, separando aquilo que realmente interessa à investigação daquilo que não interessa, e fazendo um levantamento das pessoas implicadas, que estão com sigilos bancário, telefônico e fiscal quebrados.

“Estamos aguardando a documentação que o Banco Central e a Receita Federal vão nos encaminhar. Levaremos aproximadamente quatro meses para chegar numa conclusão final deste inquérito”, previu.

Notícias relacionadas