OAB afirma que não vai permitir "pizza" no Congresso - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

12/10/2005


OAB afirma que não vai

O presidente nacional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Roberto Busato, afirmou nesta quarta-feira que a entidade não vai aceitar que os políticos envolvidos no escândalo do “mensalão” saiam impunes após as investigações promovidos pelo Congresso Nacional.

Segundo a assessoria de imprensa da entidade, Busato declarou que a OAB, “ao pressentir cheiro de pizza”, estará pronta para tomar todas “as medidas possíveis” para garantir a punição para os culpados.

“Não pactuaremos com qualquer tipo de medida procrastinatória, que iniba a capacidade punitiva do Congresso Nacional. É hora de aproveitarmos o limão para fazer uma limonada”, afirmou ele.

Para Busato, “há claramente uma tentativa de minimizar a crise política que foi levantada pela própria base governista” e que “forças de dentro” tentam encobrir as revelações já feitas pelas CPIs.

O presidente da OAB ainda afirmou que o deputado federal e ex-ministro José Dirceu deve ser cassado. “As manobras do ex-ministro são manobras em desespero de causa” e o parlamentar foi “definitivamente condenado pela opinião pública brasileira porque ele representou toda essa podridão, esse porão, esse mar de lama que ocorreu no Poder Executivo”.

Ontem, a Mesa Diretora da Câmara aprovou o relatório da Corregedoria da Casa que recomenda a abertura de processo disciplinar contra 13 deputados envolvidos no suposto esquema do “mensalão”. O presidente do Conselho de Ética, Ricardo Izar (PTB-SP), deve agendar para a próxima terça-feira a instauração dos processos. A partir daí, os acusados não podem renunciar ao mandato como forma de escapar à inelegibilidade até 2015.

Os 13 deputados –seis do PT, quatro do PP, um do PMDB, um do PFL e um do PL– são acusados de envolvimento no esquema de financiamento de partidos aliados montado pela ex-direção do PT com o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza.

Notícias relacionadas