Novo presidente do Irã quer fim de 'armas dos imperialistas' - WSCOM

menu

Economia & Negócios

03/08/2005


Novo presidente do Irã quer

O novo presidente do Irã, Mahmoud Ahmedinejad, defendeu ao tomar posse que sejam eliminadas as armas de destruição em massa “que estão nas mãos dos imperialistas”.

A declaração foi feita em um momento em que países europeus expressaram preocupação com o fato de que o Irã anunciou a retomada de seu programa nuclear.

O governo iraniano diz que seu programa nuclear tem fins pacíficos, mas os Estados Unidos afirmam que o objetivo real é desenvolver armas nucleares.

Durante a mesma cerimônia, o líder supremo do país, aiatolá Ali Khamenei, disse que o povo iraniano mostrou sua “coragem” e “adesão aos interesses nacionais” ao ignorar um pedido de boicote às eleições presidenciais feito pelo presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.

“Eles (os americanos) tentaram amedrontar o nosso povo, dissuadir o povo a tomar parte nesta arena de honra e orgulho”, disse Khamenei, que, assim como Ahmedinejad, é visto como um conservador “linha-dura”.

“Mas nossa nação mostrou sua independência, sua inteligência, sua coragem, sua simpatia pelos interesses nacionais e sua adesão a eles”, afirmou o líder supremo iraniano, que qualificou os Estados Unidos de “o Grande Satã”.

Padrões diferentes

Em seu discurso, Ahmedinejad condenou o que considera ser a aplicação de “padrões diferentes” no cenário internacional.

“A discriminação e os padrões diferentes na política externa destroem quaisquer fundamentos para o acordo e a cooperação”, disse o novo presidente iraniano.

Os Estados Unidos possuem armas nucleares, mas têm como um dos principais pontos de sua política externa evitar que outros países, como o Irã, coloquem suas mãos em equipamentos do tipo.

Ahmadinejad, 49 anos, era o prefeito de Teerã, a capital iraniana, e é considerado de perfil conservador.

Ele sucedeu o reformista Mohammed Khatami, que ficou oito anos na Presidência.

Seu primeiro desafio agora deve ser administrar uma polêmica com os Estados Unidos e a União Européia a respeito do programa nuclear iraniano.

O Irã anunciou nesta semana que está retomando suas atividades nucleares.

Herói dos pobres

A cerimônia de confirmação da posse de Ahmadinejad tomou lugar na manhã desta quarta-feira. No sábado, o presidente prestará juramento no Parlamento iraniano.

Antes das eleições, Ahmadinejad era um personagem pouco conhecido no cenário internacional.

Pouca gente o considerava um dos favoritos para vencer o pleito presidencial, mas ele conseguiu surpreender e chegar ao segundo turno, o qual venceu por uma margem de cerca de 10 milhões de votos.

Durante seu mandato como prefeito de Teerã, Ahmadinejad concentrou seus esforços nas partes pobres do sul da cidade.

“Herói”

Segundo a repórter da BBC na capital iraniana Frances Harrison, o novo presidente é visto como um herói nestas áreas, após ter removido favelas e construído centros esportivos e parques no lugar delas.

Ele também instituiu um dia semanal no qual o público tinha acesso a serviços mais rápidos, driblando a burocracia para encontrar soluções para os seus problemas.

Mas, desde que venceu as eleições, Ahmadinejad vem sendo objeto de suspeitas, segundo Harrison.

Ele foi acusado de ter sido um dos estudantes que participaram da tomada de reféns na embaixada dos Estados Unidos depois da Revolução Islâmica – o que ele nega.

O presidente também foi acusado de estar envolvido no assassinato de um político de oposição curda em Viena, mas seus aliados dizem que estas alegações não passam de uma campanha orquestrada pelo Ocidente para sujar o nome de Ahmadinejad.

Notícias relacionadas