Nadja propõe debate sobre Operação Confraria e cria clima tenso; Maioria de RC v - WSCOM

menu

Policial

09/08/2005


Nadja propõe debate sobre Operação

A vereadora Nadja Palitot apresentou nesta terça-feira, 9, um requerimento pedindo uma sessão especial na Câmara Municipal para debater a Operação Confraria, o que causou um debate acalorado entre Situação e Oposição levando até a suspensão da sessão por cinco minutos pelo presidente Severino Paiva. Quatro vereadores da base de Ricardo Coutinho votaram pró-Cícero; 3 outros se ausentaram.

Na sessão, quatro vereadores de Situação ( Anibal Marcolino, Zezinho do Botafogo, Durval Ferreira e João Almeida ) votaram a favor do arquivamento da sessão consequentemente pró tese defendida por aliados de Cicero Lucena.

Outros três vereadores ( Fuba, Fabiano Villar e Pastor Miguel Arcanjo), também da base aliada de Ricardo Coutinho, mesmo estando na Câmara Municipal na hora de votar ficaram ausentes.

Reação -De acordo com Nadja, existe uma “operação abafa” para que o tema não seja debatido no plenário da Câmara, já o líder da oposição vereador Hervazio Bezerra (PSDB) lembrou que, “nem o momento, nem o local eram apropriados para debater o assunto,aqui não é o tribunal do Júri”.

As discussões chegaram ao extremo a ponto do presidente da Casa interromper a sessão por cinco minutos para acalmar os ânimos. O vereador Tavinho lembrou a Nadja, que ela não poderia acusar a gestão de Cícero, pois ela mesma havia feito parte a administração do ex-prefeito como assessora jurídica da Emlur recebendo cerca de R$ 5,5 mil.

Nadja rebateu dizendo que Tavinho não tinha moral para fazer tal cobrança porque, além de inverdicta, ele estava envolvido com irregularidades no Tribunal de Contas.

Ricardo não tem Maioria segura
Por Walter Santos

O resultado da votação desta terça-feira mandando arquivar pedido de sessão para discutir a Operação Confraria envolvendo o ex-prefeito Cicero Lucena mostrou claramente que o prefeito Ricardo Coutinho não tem maioria confiável e pode a qualquer momento ficar em Minoria.

Dos 11 vereadores da Base, 4 votaram em tese pró Cicero Lucena, 3 se ausentaram e somente 4 estiveram na condição de aliado prá valer.

Os dados levam o prefeito a precisar encarar com seriedade a possibilidade de perder a Maioria na Câmara, até porque dois dos quatro vereadores distoantes do encaminhamento da vereadora Nadja Palitot só dizem estar com a base do prefeito da boca-pra-fora, porque, na surdina fazem sérias restrições ao prefeito.

João Almeida, por exemplo, mesmo tendo uma secretaria indicada para um genro seu, nos bastidores critica abertamente o prefeito e não tem nenhum segredo em andar com sobrinhos de Cicero Lucena na maior cumplicidade politica, tanto que seu chefe de Gabinete, semana passada, disse defender abertamente o esquema de Cícero.

No caso de Anibal, acumulando experiência e matreirice, não descansa enquanto não derrubar a Secretária de Saúde, Roseana Meira – condição essa impossivel de acontecer por enquanto porque RC apoia ela integralmente.

Dois outros votos pró Cícero (Durval e Zezinho) são parlamentares próximos do esquema do ex-prefeito.

Estranho (?) foi o vereador Fuba estar ausente, assim como Fabiano Villar – hoje cultor de RC por lhe garantir a vaga na Câmara, daí ser óbvio deduzir que a Base do atual prefeito anda fraca que nem caldo de batata, como diz o adágio popular.

Pelo visto, Ricardo está preste a viver tendo Minoria na Câmara.

Notícias relacionadas