Na reprise, Flu apenas empata com o Brasiliense - WSCOM

menu

Mais Esporte

25/10/2005


Na reprise, Flu apenas empata

Se na primeira reprise, contra o Juventude, o Fluminense conquistou os três pontos que havia perdido, no bis contra o Brasiliense a história foi diferente. Jogando um futebol de pouca inspiração, o time carioca não conseguiu vencer a retranca do adversário na repetição da partida da 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em jogo realizado na noite desta segunda-feira, em Volta Redonda, as duas equipes empataram por 1 a 1.

No dia 10 de setembro, o Fluminense havia vencido o Brasiliense por 3 a 0, com gols de Tuta (2) e Petkovic. Mas como aquela partida foi apitada pelo ex-árbitro Edílson Pereira de Carvalho, pivô do esquema de armação de resultados, acabou anulada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Ao contrário do jogo original, o Fluminense esteve melhor em campo e pressionou durante os 90 minutos. A equipe do técnico Abel Braga precisava da vitória para se manter na briga pelas primeiras posições, mas encontrou uma forte retranca. Por isso, o treinador tricolor considerou injusto o resultado final.

“Temos consciência quando jogamos mal, quando o time está apático. Mas hoje foi um jogo de ataque contra defesa. Sabíamos que seria assim quando vimos a escalação. Eles estavam com três volantes e conseguiram achar um gol”, disse Abel.

Com o novo resultado, o time carioca viu aquela vitória se transformar em um empate que diminui ainda mais as chances de o time tricolor lutar pelo título da competição. Mas a equipe segue viva na briga por uma vaga na Copa Libertadores da América da próxima temporada.

Agora, o Fluminense soma 56 pontos e segue na quarta posição, com um jogo a mais que o Internacional, terceiro colocado. O time gaúcho tem a mesma pontuação dos cariocas, mas leva a melhor no número de vitórias.

“Continuamos distantes [do Corinthians]. Temos que fazer pontos e eles não e isso traz uma grande dificuldade. Ficamos na expectativa de que eles não pontuem, mas não vamos jogar a toalha. Vamos procurar pontuar e temos que lutar mais dentro de campo”, disse o goleiro Kleber.

Na estréia de Márcio Bittencourt como técnico do Brasiliense, o time do Planalto Central não apresentou um futebol de quem precisava deixar a zona de rebaixamento. A equipe procurou apenas se defender e armou jogadas ofensivas apenas em contra-ataques. Mas não foi o que viu o técnico.

“O Fluminense teve poucas chances e poderíamos ter virado o primeiro tempo com 2 a 0. O gol deles foi uma infelicidade. O time teve atitude e é assim que eu quero. Não temos nada a perder”, disse Márcio.

O Brasiliense até saiu no lucro em relação à partida anulada. Mas para um time que precisa vencer para deixar a zona de rebaixamento, o empate não foi um bom resultado. Com o ponto conquistado, o time do Distrito Federal foi a 33 pontos e segue na lanterna do Campeonato Brasileiro, mas a apenas dois pontos do Paysandu, que encabeça a lista dos quatro últimos.

Cumpridos os jogos que tinham que repetir, Fluminense e Brasiliense igualaram-se no número de jogos que os demais concorrentes. Na próxima quinta-feira, as duas equipes entrarão em campo às 20h30, pela 34ª rodada.

O time carioca receberá o Atlético-PR, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, enquanto a equipe de Brasília jogará novamente fora de casa, contra o São Paulo, no Morumbi.

O jogo

Jogando em casa e com a obrigação de vencer para se manter na briga pela Libertadores, o Fluminense começou a partida tentando pressionar o Brasiliense. Após algumas jogadas erradas e um chute completamente sem direção do lateral Schneider, o time passou a dominar o meio-campo, mas de forma desordenada.

Aos 17min, a equipe carioca criou sua primeira boa jogada. Gabriel, que mais uma vez jogou como quarto homem de meio-campo, lançou Tuta, que dominou bem no peito. A finalização, entretanto, saiu fraca e o goleiro Eduardo segurou sem maiores problemas.

Fotocom.net

petkovic vê zagueiro do Brasiliense cortar ataque do Flu: vacilo crucial em casaTrês minutos depois, o goleiro do Brasiliense errou um passe com a mão e a bola chegou a Gabriel Santos, na direita. O zagueiro cruzou para Marcão, que cabeceou. Mas a bola bateu no cotovelo de André Turatto, que estava de costas para o lance, e a defesa afastou.

O Brasiliense só se defendia e o goleiro Kleber era um mero espectador em campo. Até que, aos 29min, ele participou de forma direta, embora sem culpa, do gol do adversário. Marcão cometeu falta em Wellington Dias na intermediária. Na cobrança, André Turatto chutou forte, a bola bateu no travessão, nas costas do goleiro e entrou.

No restante da primeira etapa, o Fluminense tentou o empate, mas atacou sem inspiração. Para o segundo tempo, o técnico Abel Braga devolveu Gabriel para a lateral direita e colocou dois atacantes: Tiuí no lugar de Schneider e Adriano Magrão na vaga de Lenny.

O time da casa voltou melhor e passou a atacar com mais consistência. Até os 11min, o Fluminense já havia criado três boas chances, com Adriano Magrão, Tuta e Gabriel Santos, mas o Brasiliense conseguiu segurar a vantagem no placar.

Desesperados para conseguirem a igualdade, os cariocas se lançaram ao ataque deixando muitos espaços na defesa. Em dois contra-ataques, um puxado por Wellington Dias e outro por Vampeta, o Brasiliense quase ampliou. No primeiro lance, a defesa carioca neutralizou. No segundo, Kleber fez grande defesa, aos 14min.

O Fluminense seguiu pressionando e, aos 28min, empatou a partida. Petkovic prendeu a bola do lado esquerdo da área e chutou cruzado. O goleiro Eduardo espalmou e Marcão, na pequena área, chutou forte.

Depois do gol, o time carioca pressionou bastante, criou algumas boas chances, mas não conseguiu furar a retranca adversária. A partida caminhou para o final com o empate por 1 a 1.

FLUMINENSE

Kleber; Schneider (Rodrigo Tiuí), Gabriel Santos, Igor e Juan; Marcão, Arouca (Preto Casagrande), Petkovic e Gabriel; Lenny (Adriano Magrão) e Tuta

Técnico: Abel Braga

BRASILIENSE

Eduardo; André Luiz, Jairo, André Turatto e Márcio Careca; Deda, Pituca, Vampeta, Wellington Dias (Reinaldo); Salvinho e Igor (Robson)

Técnico: Márcio Bittencourt

Local: estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ)

Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa/SP)

Auxiliares: Ana Paula Oliveira (Fifa) e Vicente Romano Neto (ambos de SP)

Cartões amarelos: André Turatto (B), Márcio Careca (B), Igor (F)

Gols: André Turatto, aos 29min do primeiro tempo; Marcão, aos 28min do segundo tempo

Notícias relacionadas