Multidão de fiéis participa da procissão do Senhor Morto no Centro de João Pess - WSCOM

menu

Paraíba

22/04/2011


Multidão participa de procissão em JP

PAIXÃO DE CRISTO

Foto: autor desconhecido.

{arquivo}Uma verdadeira multidão de cristãos católicos participou da tradicional “procissão do Senhor Morto” que percorreu as principais ruas do Centro de João Pessoa, nesta sexta-feira da Paixão de Cristo, 22. O silêncio típico de um feriado nas ruas da cidade foi quebrado apenas pelas orações e cânticos de dor e piedade.

O Arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, acompanhou o cortejo à frete do andor no qual estava a imagem de Jesus Cristo morto, acompanhada em outro andor pela imagem de Nossa Senhora das Dores, ladeadas por missionários, cadetes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros e milhares de fiéis.

{arquivo}Por volta das 15 horas, na celebração da missa realizada na Basílica de Nossa Senhora das Neves, Dom Aldo Pagotto lembrou do episódio da morte e sofrimento de Jesus Cristo e defendeu uma maior participação das famílias na igreja. A Catedral Metropolitana ficou lotada durante a leitura dos trechos da Bíblia que relatam os últimos momentos de Jesus Cristo antes de ser preso e crucificado.

“A Semana Santa é a santidade do lar. Estamos na celebração da imagem, do imediatismo e é preciso que as famílias participem mais das atividades cristãs, sobretudo numa época tão importante como é a Semana Santa”, pregou o arcebispo.

O percurso da procissão teve início por volta das 16h30 na Avenida General Osório, em frente a Basílica de Nossa Senhora das Neves. O cortejo seguiu pelas praças dos Três Poderes e 1817, a Avenida Duque de Caxias.

{arquivo}Após contornar a Praça Venâncio Neiva e a Rua Visconde Pelotas, a procissão retornou ao seu ponto de partida, na avenida General Osório, sendo a ato litúrgico encerrado em frente a Igreja do Carmo, onde os fiéis aplaudiram e saudaram as imagens de Jesus Cristo e Nossa Senhora das Dores.

Dor e sofrimento

A sexta-feira santa, ou sexta-feira da Paixão, é a data em que os cristãos lembram o julgamento, paixão, crucificação, morte e sepultura de Jesus Cristo. Esta data faz parte do Tríduo Pascal, que é procedida pelo Sábado Santo e o Domingo da Ressureição.

O Tríduo é um período de sacrifício para o cristão, de acordo com o arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, não é necessário que se coma apenas peixe, mas que o fiel precisa se privar de algo. "Comer o peixe não é essencial, isso é simbólico. O importante é que o católico precisa se privar dos excessos, é uma forma de provar penitência", afirmou Dom Aldo Pagotto.

Notícias relacionadas