MST invade Centro Administrativo na Capital e impede acesso de servidores; no in - WSCOM

menu

Paraíba

28/03/2006


MST invade Centro Administrativo na

Desde o início da manhã desta terça-feira, 28, cerca de 1,2 mil pessoas do Movimento Rural Sem Terra (MST) e da Comissão Pastoral da Terra (CPT) estão mobilizadas em frente ao Centro Administrativo Estadual em João Pessoa. Servidores não estão conseguindo ter acesso às repartições. Sem Terra também bloquearam estradas na região do Sertão paraibano e se mobilizam em acampamentos na Várzea de Sousa.

Segundo Tânia Maria Silva, da coordenação do CPT, os bloqueios de rodovias no interior do Estado estão sendo feitos por mais de mil famílias. O principal deles acontece na BR 230, no trecho que liga as cidades de Souza e Aparecida.

Segundo nota distribuída pelo gabinete do deputado Frei Anastácio (PT), as famílias só vão desocupar o Centro Administrativo e a BR 230 quando os governos estadual e federal sinalizarem para abertura de negociação.

Além da Capital e das estradas, a coordenação do MST informou ainda que na Várzea de Souza trezentas famílias estão mobilizadas para exigir a distribuição de sete áreas na cidade destinadas aos assentamentos pelo Governo Federal.

As entidades querem ser recebidas ainda hoje pelo superintendente do Incra para resolver pendências relativas as áreas onde estão os assentamentos no interior do Estado.

A principal questão diz respeito a áreas já destinadas pelo governo federal para a reforma agrária, mas que ainda não foram repassadas aos agricultores.

“Queremos ser recebidos para tentar resolver logo essa questão e as estradas continuam bloqueadas até que o Incra se manifeste e nos receba”, diz Tânia.

Segundo o representante da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Dorival Fernandes, dez viaturas acabaram de chegar ao Centro Administrativo, mas não houve confronto.

As viaturas continuam no local e os portões permanecem fechados pelos manifestantes. Os funcionários que já estavam no local quando a manifestação começou estão sendo convidados a se retirar sem maiores transtornos.

Notícias relacionadas