MP apresentará resultado de investigação sobre servidores fantasmas em coletiva - WSCOM

menu

Política

26/04/2011


Caso dos fantasmas: MP dará coletiva

APURAÇÃO

Foto: autor desconhecido.

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) deverá convocar uma coletiva de imprensa nos próximos dias para divulgar os resultados da investigação que apura as denúncias sobre servidores fantasmas na gestão do ex-governador José Maranhão (PMDB). A informação foi confirmada na manhã desta terça-feira, 26, pelo procurador-geral de Justiça, Oswaldo Trigueiro do Valle Filho.

“A gente convocará uma coletiva à imprensa para justamente divulgar o resultado de todas essas informações”, disse o procurador. As denúncias formuladas pelo atual governo incidem sobre o pagamento de salários a servidores fantasmas, a pessoas falecidas, bem como pagamento de altas remunerações a servidores “privilegiados”.

No entanto, Oswaldo Trigueiro preferiu não informar o dia em que ocorrerá a divulgação dos resultados. “Ainda não há uma previsão, não quero me antecipar, porque cometi o equivoco de divulgar antes que em 15 dias nos pronunciaríamos, mas de fato não foi possível e essa divulgação e quando a coordenação nos der o retorno nós faremos a divulgação”, comentou.

Improbidade administrativa

Os envolvidos podem ser acusados de crimes contra a administração pública, crime de responsabilidade e improbidade administrativa.

Também estão sendo apuradas pelo Ministério Público as denúncias de falsificação de documentos pelos parentes de servidores. As pessoas que recebiam sem trabalhar devem responder na Justiça e podem ser obrigadas a restituir o Estado.

Entenda

A presença de funcionários "fantasmas" foi revelada em fevereiro, após o término de um recadastramento dos servidores do Estado. Na época, 1.014 servidores da Secretaria de Estado da Educação vindos das gestões anteriores foram considerados irregulares e retirados da folha de pagamento, incluindo 71 que estavam mortos e mesmo assim ainda constavam da folha.

Também foram encontrados 44 servidores que moravam no exterior, 187 aposentados –que recebiam tanto pelo governo quanto pelo INSS – e 650 funcionários que recebiam sem trabalhar.

Outros 62 servidores procurados durante o recadastramento não foram localizados e, por isso, engrossam a lista de fantasmas no Estado. Os funcionários recebiam entre um e dois salários mínimos.

Notícias relacionadas