Motoqueiros criminosos: PM e PC montam esquema para desarticular quadrilha; cerc - WSCOM

menu

Policial

05/06/2006


Motoqueiros criminosos: PM e PC

A onda de crimes praticada por usuários de motocicletas acabou provocando articulação de esquema especial, que envolve os dois principais aparatos policiais do Estado: as polícias Civil e Militar. Barreiras e blitzen serão montadas para monitorar os motoqueiros. Mais da metade dos homicídios e furtos registrados na Grande João Pessoa nos últimos três meses foi praticado por pessoas usando motos.

Na tentativa de minimizar o problema a Secretaria da Segurança e Defesa Social estará montando o esquema com operações como a abordagem de motoqueiros e caronas.

O entendimento dos policiais é que a utilização da moto para fugas após assaltos e homicídios está sendo comum devido à facilidade no trânsito. Na perseguição geralmente a polícia sai perdendo.

Blitzen e barreiras policiais estão sendo programadas para abordar as motos nas principais ruas e avenidas da Grande João Pessoa, como também nos locais considerados como rotas de fugas.

O delegado Antônio Álvares de Farias disse que a polícia está atenta em relação à ação dos motoqueiros criminosos. Equipes das delegacias de Crimes contra o Patrimônio e de Roubos e Furtos de Veiculos e Cargas como também da Polícia Militar estão prontas para agir.

O coronel Lima Irmão, comandante geral da Polícia Militar, disse que desde a semana passada os policiais dos batalhões e companhias instaladas na Grande João Pessoa estão intensificando operações com o objetivo de fechar o cerco.

Lima Irmão acrescentou que recomendou aos comandantes das unidades militares para montar barreiras e abordar motoqueiros. Ele disse ainda que o serviço de inteligência também está empenhado em busca de informações para chegar aos responsáveis pelos crimes de homicídios e assaltos ocorridos nos últimos dias.

O importante, disse o comandante da PM, é que o trabalho está sendo integrado entre as Polícias Civil e Militar no combate a criminalidade.

Acerto de contas – As ações dos motoqueiros ocorrem geralmente nas portas das agências bancárias. Os clientes são monitorados, abordados por dupla usando capacetes e têm o dinheiro roubado.

A principal preocupação da Segurança Pública, porém, é que motos também estejam sendo usadas por grupos de extermínio. Para cometer assassinatos, na grande maioria como queima de arquivo, acerto de contas ou vingança, os marginais em motos que se aproximam das vítimas e geralmente o carona é quem fica encarregado de fazer a execução.

Os dados não foram revelados, mas informalmente agentes policiais revelam que a maioria homicídios ocorridos na Capital teve participação de motoqueiros.

Notícias relacionadas