Ministério Público aponta promotor para acompanhar caso Printes - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

13/10/2005


Ministério Público aponta promotor para

O promotor Marcelo Camargo Milani foi nomeado pelo Ministério Público de São Paulo para acompanhar as investigações do caso Carlos Delmonte Printes, o legista que fez a autópsia do prefeito de Santo André Celso Daniel, assassinado em 2002. Milani acompanhou os casos von Richthofen, a gange Carecas do ABC e Pimenta Neves.

O corpo de Printes foi encontrado na tarde desta quarta-feira em seu escritório na zona sul de São Paulo. O perito participou das investigações do caso Celso Daniel –prefeito petista assassinado em 2002– e constatou na época que o político havia sido torturado.

Para o delegado Domingos Paulo Neto, diretor do DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa), o mais provável é que a morte tenha sido natural. “Inicialmente descartamos que tenha sido homicídio, mas tudo será investigado.”

Printes foi o primeiro a analisar o corpo e a sustentar que o prefeito foi brutalmente torturado. Ele, que disse ter sido “censurado” durante três anos, afirmou que considerava inverossímil a tese de crime comum, idéia defendida até hoje por integrantes do PT, partido do qual Celso Daniel fazia parte.

Entretanto, há suspeitas de que a morte do prefeito de Santo André estaria relacionada a um suposto esquema de corrupção montado na cidade. A família do prefeito morto sempre defendeu a tese de crime político.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o escritório do perito, que fica na Vila Mariana (zona sul), não apresentava sinais de violência, como invasão. O corpo foi encontrado por seu filho, por volta das 13h. Printes estava caído no chão e de cuecas. Segundo a polícia, ele chegou ao prédio às 3h40 para estudar, como costumava fazer. As fitas do circuito interno gravaram imagens do perito no prédio.

IML

O IML (Instituto Médico Legal) divulgou na tarde desta quinta-feira nota sobre o caso Printes. Veja abaixo a íntegra do texto, assinado pelo diretor Hideaki Kawata.

“A Diretoria do Instituto Médico Legal esclarece:

O corpo do médico legista Dr. Carlos Delmonte , foi submetido à exame necroscópico geral, com a presença de patologistas e legistas. Foram colhidos todos os materiais necessários para os exames complementares, que deverão identificar a causa mortis.

O corpo foi liberado às 5h15 da manhã de hoje para a família.”

Notícias relacionadas