Ministério Público acusa José Dirceu de improbidade administrativa - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

26/10/2005


Ministério Público acusa José Dirceu

O Ministério Público Federal vai encaminhar à Procuradoria Geral da República um pedido de abertura de processo contra o deputado José Dirceu (PT-SP), pelo crime de improbidade administrativa.

O anúncio foi feito nesta quarta-feira pelo procurador responsável pelo caso, Luciano Rolim. Como tem foro privilegiado por ser deputado federal, o pedido será deverá ser encaminhado pela Procuradoria para o STF (Supremo Tribunal Federal).

Segundo o procurador, o pedido de abertura de processo contra Dirceu é resultado das investigações sobre o suposto tráfico de influência cometido pelo ex-ministro-chefe da Casa Civil para beneficiar seu filho, José Carlos Becker, o Zeca Dirceu, prefeito de Cruzeiro do Oeste, no Paraná.

Improbidade

“O Ministério Público Federal concluiu que José Dirceu, Waldomiro Diniz [ex-assessor de Dirceu na Casa Civil] e Zeca Dirceu praticaram atos de improbidade administrativa, que em tese configuram crime de tráfico de influência e de advocacia administrativa (patrocinar interesse privado contra a administração pública). O crime de improbidade administrativa será objeto de uma ação a ser ajuizada na Justiça Federal”, explicou Rolim.

De acordo com o procurador, “em relação aos fatos que em tese caracterizam o crime de tráfico de influência e advocacia administrativa, farei encaminhamento de cópia integral dos autos ao Procurador Geral da República para que adote as medidas que entender cabíveis em relação aos responsáveis, tendo em vista que José Dirceu ocupa o cargo de deputado federal o que lhe garante foro privilegiado”.

Casa Civil

Segundo Rolim, as conclusões do Ministério Público foram tomadas com base em depoimentos de várias testemunhas, principalmente de funcionários da Casa Civil. “As conclusões se amparam e têm diversos elementos de prova colhidos durante a investigação. Por cerca de um ano e meio, dezenas de depoimentos, documentos, planilhas em relação ao ex-ministro e atual deputado José Dirceu, nós podemos citar um fato de atuação direta do mesmo para favorecer Zeca Dirceu”.

Como exemplo do favorecimento do filho do ex-ministro, Luciano Rolim apresentou a comprovação de que houve uma reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para a divulgação de uma Feira de Vestuário de Cianorte no Paraná.

Desta reunião, participaram além de Lula e José Dirceu, o prefeito Zeca Dirceu e o prefeito de Cianorte, Flávio Vieira.

“Segundo o prefeito de Cianorte, em depoimento ao Ministério Público, tal reunião foi agendada por José Dirceu, e o objetivo dela, conforme o Ministério Público Federal demonstra por elementos de provas colhidos durante as investigações, foi a promoção político eleitoral do filho dele, Zeca Dirceu, para o cargo de prefeito de Cruzeiro do Oeste”, afirmou Rolim.

Ainda de acordo com o procurador, as punições cabíveis a Dirceu, Diniz e Zeca Dirceu vão desde perda do cargo ou mandato, multa até a suspensão dos direitos políticos

Notícias relacionadas