Mineiro comemora convocação sem se importar com critérios - WSCOM

menu

Mais Esporte

01/06/2006


Mineiro comemora convocação sem se

Pouco interessado em saber quais os critérios que o levarão pela primeira vez a uma Copa do Mundo, Mineiro, o volante calmo e de voz mansa do São Paulo, comemorou sua convocação para o Mundial da Alemanha em substituição a Edmílson, cortado na quarta-feira com uma lesão no joelho.

“Não vou querer saber o critério (usado na convocação)“, disse o mais novo integrante da equipe que buscará o hexacampeonato, após a vitória do São Paulo por 1 x 0 sobre o Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro, conforme informou a Agência Reuters. Vale lembrar, que Mineiro tem no currículo apenas 14 minutos de jogo vestindo a camisa da Seleção Brasileira.

O jogador lembrou que não quis discutir os critérios que levaram o técnico da seleção, Carlos Alberto Parreira, a deixá-lo de fora da lista inicial de 23 convocados para a Copa e afirmou que, se não questionou naquele momento, não se preocupará com isso agora, no momento em que está garantido no Mundial.

Em Weggis, na Suíça, onde a Seleção se prepara para a estréia na Copa contra a Croácia, no dia 13 de junho, Parreira também não falou sobre a convocação do volante do São Paulo mas, muito provavelmente, o fato de Mineiro estar em atividade o deve ter colocado à frente de jogadores como Renato e Júlio Baptista, que foram lembrados mais vezes pelo técnico da Seleção, mas já desfrutam de férias após o término da temporada européia.

Mineiro não se preocupa com isso e mantém a tranquilidade costumeira quando perguntado sobre sua expectativa para a recepção que terá de estrelas do futebol mundial, como Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo e Adriano em Weggis.

“Eu tive a chance de ser chamado para as eliminatórias e fui muito bem recebido pelo grupo, inclusive pelos jogadores de fora“, lembrou o atleta, que foi convocado para as partidas contra Uruguai e Peru, nas eliminatórias, e para o duelo festivo contra a Guatemala, que marcou a despedida do atacante Romário da seleção. “Acho que não vou ter problema“, acrescentou.

O que realmente preocupa o volante tricolor é fazer a alegria do filho, Juan Pablo, de quatro anos, que ficou eufórico ao saber que o pai atuará ao lado de Ronaldinho Gaúcho. “Agora é tentar fazer com que ele sinta ainda mais orgulho (do pai)“, disse o jogador.

Notícias relacionadas