Milosevic teria tomado remédios 'errados', diz médico - WSCOM

menu

Internacional

13/03/2006


Milosevic teria tomado remédios 'errados

O toxicólogo holandês Donald Uges, que há duas semanas examinou amostras do sangue do ex-presidente da antiga Iugoslávia, Slobodan Milosevic, disse ter encontrado traços de uma droga que pode ter neutralizado os medicamentos que ele tomava para o coração.

Especialistas ainda estão analisando amostras do sangue de Milosevic colhidas após sua morte, no sábado. Mas a declaração de Uges levanta dúvidas sobre o que teria provocado o ataque cardíaco que matou o ex-líder, comprovado na autópsia realizada no domingo.

O advogado de Milosevic, Zdenko Tomanovic, disse que o ex-presidente temia estar sendo envenenado.

Milosevic chegou a escrever sobre isso em uma carta ao governo da Rússia.

Nesta segunda-feira, o Ministério das Relações Exteriores russo confirmou ter recebido a carta dias antes da morte do ex-líder iugoslavo, na qual ele reclamava do “tratamento inadequado” que vinha recebendo dos médicos no Tribunal Internacional de Crimes de Guerra, em Haia, e pedia para receber cuidados médicos em Moscou.

Antibiótico

Uges disse que fez os exames há duas semanas porque a pressão arterial de Milosevic se mantinha alta, apesar dos medicamentos que ele tomava.

O toxicólogo holandês disse ter encontrado traços de rifampicina, um antibiótico forte, usado para tratar tuberculose e hanseníase.

Segundo Uges, o ex-presidente iugoslavo teria tomado o remédio para conseguir “uma passagem só de ida para Moscou”.

O resultado dos exames realizados no fim de semana são esperados para a terça-feira.

Funeral

O corpo do ex-líder iugoslavo deve ser entregue para sua família ainda nesta segunda-feira.

Os familiares querem que o funeral seja realizado na capital da Sérvia, Belgrado.

Mas o presidente sérvio, Boris Tadic, disse que a viúva e o filho de Milosevic correm o risco de ser presos se voltarem ao país. Atualmente eles estão exilados na Rússia.

Tadic disse ainda que um funeral oficial para Milosevic seria “totalmente inapropriado”.

Autoridades da Sérvia e Montenegro temem que o enterro provoque uma demonstração de apoio dos partidários do ex-presidente.

Mas o Partido Socialista, ao qual Milosevic pertencia, disse que vai tentar derrubar a aliança governista caso o ex-líder não receba um funeral digno.

Slobodan Milosevic era acusado de crimes de guerra, genocídio e crimes contra a humanidade pelo papel que teve liderando a Sérvia durante as guerras na Bósnia, na Croácia e no Kosovo, nos anos 90.

Notícias relacionadas