México vence Irã por 3 a 1 e espanta má fase - WSCOM

menu

Internacional

11/06/2006


México vence Irã por 3

México e Irã fizeram uma partida cheia de alternativas na estréia das duas equipes na Copa, e o jogo acabou vencido pelos mexicanos por 3 a 1. O destaque do jogo foi o atacante mexicano Omar Bravo, que marcou dois gols e lidera a artilharia da Copa com o alemão Klose e o costarriquenho Wanchope. O terceiro gol da equipe foi marcado por Sinha, brasileiro naturalizado mexicano.

A partida, realizada em Nuremberg, abriu a disputa do grupo D na Copa, que também conta com Portugal e Angola. Com a vitória, o México espanta a má fase que o time viveu nas últimas semanas, com derrotas e críticas na imprensa local.

O México vinha de duas derrotas nos últimos amistosos antes da Copa – perdeu de 1 a 0 da França e 2 a 1 da Holanda -, o que tornou o esquema tático e a escalação da equipe um mistério. O treinador argentino Ricardo La Volpe optou por escalar Rafa Márquez, do Barcelona, na zaga, abandonando a idéia de colocá-lo no meio-campo. No ataque, o técnico escalou Omar Bravo ao lado de Borgetti, e, ciente do baixo rendimento ofensivo do time, escalou o argentino naturalizado mexicano Guillermo Franco como meia-atacante.

O meia Sinha era cotado até a véspera para ingressar na equipe titular, mas não foi relacionado no time inicial. O meia entrou no segundo tempo, no lugar de Guillermo Franco, e sua estrela brilhou, com um belo gol de cabeça. Além disso, o atleta fez a assistência para o segundo gol de Bravo.

O Irã começou melhor, indo para o ataque e se aproveitando do nervosismo inicial dos rivais, que pela primeira vez participam de um Mundial na condição de cabeças-de-chave, deixando Portugal, também do grupo D, fora dessa relação.

Os iranianos, animados com a goleada sobre a Bósnia em casa e o empate com a Croácia na casa do adversário, não se intimidaram com o status do México e, aos 11min, a equipe quase marcou. Em cabeçada forte e rasteira do centroavante Hashemian, do clube alemão Hannover, Sánchez fez bela defesa, espalmando para escanteio. A participação de Sánchez no jogo teve contornos heróicos, pois o pai do goleiro morreu na quarta-feira, e o jogador foi ao México participar do enterro, retornando para a Alemanha somente na véspera do jogo diante do Irã.

Com 12 participações anteriores em Copas, os mexicanos tiveram como melhor desempenho a ida às quartas-de-final, em 1970 e 1986, quando o torneio foi disputado no México. A seleção espera superar essa marca no Mundial da Alemanha, e muitos jogadores disseram antes do torneio que têm como objetivo chegar pela primeira vez às semifinais.

Leia mais no site da UOL