México: Candidatos encerram campanha eleitoral - WSCOM

menu

Internacional

29/06/2006


México: Candidatos encerram campanha ele

Os candidatos à presidência do México encerraram a campanha na quarta-feira à noite tentando conquistar os corações e mentes dos eleitores indecisos.

O centro-esquerdista Andrés Manuel López Obrador e o conservador Felipe Calderón são os favoritos, em uma disputa apertada segundo as últimas pesquisas.

A campanha presidencial foi marcada por intensa troca de insultos políticos e pelo aumento da violência ligada ao tráfico de drogas.

Cerca de 12 pessoas foram mortas no fim de semana no Estado de Guerrero, na costa do Pacífico, entre elas quatro policiais.

Outro policial foi morto na segunda-feira à noite, no balneário de Cancún. O governo mexicano afirmou que os assassinatos não vão atrapalhar a votação no domingo.

Comícios

López Obrador, ex-prefeito da Cidade do México, falou à multidão em Zócalo, no centro da capital, onde prometeu mudanças no rumo da política econômica.

Clique aqui para ler mais sobre o último comício de López Obrador

Segundo o candidato da coalizão Bem de Todos, as eleições de domingo “vão mostrar que o dinheiro nem sempre vence o moral e a dignidade das pessoas”.

Seu principal rival, Felipe Calderón, candidato do partido do presidente Vicente Fox, o Partido da Ação Nacional (PAN), fez seu último comício em Guadalajara, a segunda maior cidade do México.

Ele disse aos eleitores que é o homem certo para liderar o país em direção ao futuro, finanlizando a campanha em que apresentou Lopez Obrador como “um perigo para o México”.

Lei eleitoral

Roberto Madrazo, o candidato do PRI (Partido Revolucionário Institucional), que governou o México por 71 anos e permanece sendo o maior partido político do país, encerrou sua campanha no Estado de Veracruz.

Nas últimas semanas, ele vem tentando convencer os eleitores de que esta corrida ainda não está definida.

Os outros candidatos são Patricia Mercado, do Partido Social Democrata e Alternativa Camponesa, e Roberto Campa, candidato da Nova Aliança.

A lei eleitoral no México obriga os candidatos a encerrar a campanha à meia-noite de quarta-feira para dar tempo aos eleitores para que reflitam antes da votação de domingo.

“O espírito desta lei é dar às pessoas paz para discutir as questões por eles mesmos, livres de interferência”, disse à agência de notícias Associated Press Rolando de Lasse, do Instituto Eleitoral Federal.