Mesmo com desfalques, Bahia vence o Botafogo e avança na Sul-americana - WSCOM

menu

Futebol

04/10/2018


Mesmo com desfalques, Bahia vence o Botafogo e avança na Sul-americana

Foto: autor desconhecido.

Mesmo com a classificação para as quartas de final da Sul-Americana, o técnico Enderson Moreira precisou explicar o motivo pelo qual decidiu poupar, ainda que rejeite essa palavra, quatro titulares na partida contra o Botafogo. O zagueiro Lucas Fonseca, o volante Gregore e o meia Ramires apresentaram desgaste e sequer viajaram. Élber embarcou com a delegação para o Rio de Janeiro, mas foi cortado da partida.

De acordo com o treinador tricolor, os atletas que ficaram em Salvador não tinham condição de participar do jogo. O Tricolor foi derrotado por 2 a 1, mas garantiu a classificação nas penalidades.

– As pessoas acham que a gente toma decisões por querer. Não tem nada disso. Trouxe jogadores em condição [de jogar]. Quem ficou é porque não reuniu condição mínima para iniciar uma partida. O Bahia completa 62 jogos. Enfrentamos o Botafogo, que fez pelo menos dez jogos a menos que a gente. Vamos confrontando com equipes que fizeram menos jogos. Não foi escolha. Tivemos que tomar essa decisão. A gente tinha que entrar com o time mais inteiro possível. O desgaste que esse grupo tem tido… Foi a única equipe da Série A que não teve o período da Copa do Mundo. Ceará ficou uma parte, depois teve período de treinamento. Não canso de enaltecer a dedicação desses jogadores. Tem hora que eu me surpreendo com a capacidade de correr e superar desafios, que no interior eu achava que talvez não desse. Com o elenco que tem, a gente sabendo usar bem… Hoje, tivemos o retorno do Jackson, que passou por uma cirurgia complicada, assim como o Douglas, o Allione, que não joga há algum tempo. Não canso de enaltecer esse grupo pela capacidade de se superar. Depois do jogo contra o Flamengo, quatro jogadores me falaram que não tinha condição de participar do jogo. A gente tem que tomar decisões. Tem que ser tomada essa decisão – afirmou.

A única coisa que me incomoda é a palavra poupar. Poupar é quando sobra. Os jogadores que a gente não põe para jogar é porque não está sobrando. Vou dar o exemplo do Gregore, Zé já fez 56 jogos na temporada. A gente não poupa ninguém, o jogador que não tem condição de iniciar o jogo em boas condições, a gente opta por outro atleta. Nós não temos nenhum tipo de preferência, de prioridade. A prioridade é sempre o próximo jogo
Sem Everson e Lucas Fonseca, que ficaram em Salvador, e com Tiago deixando o campo ainda no primeiro tempo por lesão, Enderson foi obrigado a mandar Jackson para o duelo. O zagueiro, que ficou mais de um ano sem jogar, assim como o goleiro Douglas, que havia falhado no jogo de ida e pegou um pênalti no estádio Nilton Santos.

– Fico muito feliz com a questão do Douglas. Só quem joga futebol tem a exata noção de que, em algum momento, todos vão falhar, um dia que não vai ser tão bom. O que sempre falo é que a gente não ode carregar o erro anterior. Tem que esquecer dentro da partida mesmo. A gente tem que entender que são atletas que jogam futebol, que as pessoas acham que é muito fácil. Quanto ao Flávio, um atleta que está sempre preparado para nos ajudar. Acho que foi muito bem na lateral esquerda, nos deu a tranquilidade de uma saída de bola. O confronto foi muito equilibrado. A gente teve um crescimento muito forte no segundo tempo. Qualquer um que passasse seria merecido. Ainda bem que foi o Bahia – disse Enderson.

O Bahia agora volta a campo neste sábado, quando enfrenta o Grêmio, em Porto Alegre, pelo Campeonato Brasileiro.